Bauru

Economia & Negócios

Governadores querem discutir a política de preços com Petrobras

Estados temem queda de arrecadação com a mudança da cobrança do ICMS e falam em perda de R$ 24 bilhões

por Estadão Conteúdo

22/10/2021 - 05h00

Fotos Públicas

Sessão em que os deputados aprovaram mudanças na forma de cobrança do ICMS

Brasília - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que os governadores querem discutir a política de preços dos combustíveis no País com a Petrobras. Os administradores estaduais se reuniram com Pacheco ontem (21) cedo e manifestaram resistência ao projeto que altera a cobrança de ICMS sobre os preços do produto.

Os estados temem queda de arrecadação com a mudança, aprovada na Câmara. Pacheco afirmou que o projeto será discutido pelo Senado.

Na quarta, o senador sugeriu mudar a proposta para liberar os Estados a definirem suas próprias alíquotas para o imposto.

"Os governadores disseram muito da importância de discutir uma política de preços dos combustíveis no Brasil e a própria participação da Petrobras nessa discussão, uma empresa evidentemente muito lucrativa, e que bom que ela seja lucrativa, que é importante tomar parte dessa discussão do projeto", disse Pacheco.

Os governadores, por outro lado, alegam que, por causa das alterações, terão perdas de arrecadação que podem chegar a R$ 24,1 bilhões.

ENTENDA

Em 13 de outubro, os deputados aprovaram várias mudanças na forma da cobrança do tributo estadual, como forma de baixar o preço dos combustíveis. O texto que passou pela Câmara determina, por exemplo, que as alíquotas do imposto sejam definidas pelos estados para cada produto.

Ler matéria completa

×