Bauru

Economia & Negócios

Extinção do auxílio emergencial afetará 47 mil pessoas em Bauru

Deste total, quase 7 mil eram beneficiários do Bolsa Família e poderão voltar ao programa, rebatizado de Auxílio Brasil

por Tisa Moraes

24/11/2021 - 05h00

JuRehder

Fim do auxílio

Com a liberação para saque, em novembro, da última parcela do auxílio emergencial, o governo federal encerra o programa que garantiu alguma renda a milhões de brasileiros durante a pandemia do novo coronavírus. Em Bauru, cerca de 47 mil moradores que ainda eram beneficiados pelos repasses deixarão de ter acesso ao recurso a partir de dezembro.

Segundo levantamento mais recente da Secretaria Municipal do Bem-Estar Social (Sebes), 47.220 pessoas receberam quase R$ 10,5 milhões de auxílio emergencial em outubro na cidade. As cotas foram de R$ 150,00 para pessoas que moram sozinhas, R$ 250,00 para famílias de duas ou mais pessoas e R$ 375,00 para mães chefes de família monoparental.

Os dados de novembro ainda não foram computados pela pasta. Do total de favorecidos em outubro, 6.970 eram beneficiários do Bolsa Família, mas optaram por receber o auxílio emergencial, por ser um valor maior. Estes ainda terão a oportunidade de voltar a fazer parte do programa de transferência de renda, que foi rebatizado pelo governo federal de Auxílio Brasil, com algumas alterações nas regras.

"Todos que cumprirem os critérios serão beneficiados por este novo auxílio", aponta a assistente social Priscila Pitta, coordenadora do Cadastro Único (CadÚnico) da Sebes e do Auxílio Brasil em Bauru. Apesar de a pandemia ter arrefecido e parte dos empregos ter sido recuperada, entidades assistenciais e grupos voluntários que atendem as comunidades em situação de vulnerabilidade em Bauru destacam que os impactos econômicos sobre a vida destas famílias ainda são preocupantes.

E está é uma análise corroborada por Priscila Pitta. "Infelizmente, muitas pessoas perderam emprego e só agora está havendo uma retomada gradual da oferta de vagas. Mas, ainda não dá para perceber uma melhoria significativa na condição de vida destas famílias. A busca por cestas básicas, por exemplo, ainda é grande", acrescenta.

'PENTES-FINOS'

Lançado em abril de 2020 para amenizar os prejuízos provocados pela pandemia da Covid-19, o auxílio emergencial foi promovido em duas etapas, de nove parcelas no ano passado e sete em 2021. O suporte financeiro, contudo, foi minguando ao longo do tempo, devido a 'pentes-finos' periódicos realizados pelo governo federal para coibir fraudes e à criação, em 2021, de regras mais rígidas para concessão do benefício.

Assim, a ajuda começou com parcelas de R$ 600,00 concedidas a 99.527 moradores de Bauru e terminou com pagamentos de R$ 150,00 até R$ 375,00 a 47.220 pessoas, menos da metade do número inicial.

Ainda de acordo com a Sebes, deste total final, 6.265 são inscritos no CadÚnico, mas não recebem Bolsa Família e, portanto, não terão a retaguarda de nenhum dos dois programas a partir de dezembro. Outros 33.985 sequer integravam o cadastro.

CadÚnico e Bolsa Família

O perfil de registro no CadÚnico é de moradores com renda mensal de até R$ 550,00 (meio salário mínimo) por pessoa ou renda mensal familiar máxima de R$ 3.300,00. Conforme o JC apurou, por determinação do governo federal, em razão da concessão do auxílio emergencial, o CadÚnico não é atualizado desde maio de 2020.

Em Bauru, são 33.313 famílias inscritas no cadastro, totalizando 83.014 pessoas. Deste montante, 10.761 famílias receberam o Bolsa Família em outubro, beneficiando cerca de 26,8 mil moradores.

Ler matéria completa

×