Bauru

Economia & Negócios

Bolsa do Brasil tem terceiro pior desempenho do mundo

Só ganha de Turquia e Venezuela, em levantamento com 79 outras nações

por FolhaPress

04/12/2021 - 05h00

São Paulo - Em um ano marcado por incertezas políticas e aumento do risco de descontrole das contas públicas no País, a Bolsa de Valores brasileira obteve até novembro o terceiro pior resultado em uma comparação realizada pela agência de classificação Austin Rating entre 79 índices de ações de 77 países, dois dos Estados Unidos (Dow Jones e Nasdaq) e dois da China, considerando o território autônomo Hong Kong.

O Ibovespa, índice de referência para a Bolsa do Brasil, recuou 20,88% no período, uma desvalorização que só não foi maior do que as registradas por Venezuela, que afundou 99,52%, e Turquia, que cedeu 31,19%. Os resultados consideram a comparação em dólar, eliminando distorções provocadas pela flutuação do câmbio. No comparativo considerando moedas locais, o desempenho brasileiro só não foi pior do que o venezuelano.

Dos 79 índices avaliados, apenas 22 estavam no vermelho, o que é coerente com um cenário de liquidez global proporcionada por estímulos financeiros criados por governos de diferentes países com o intuito de combater a desaceleração econômica.

O cenário político conturbado, porém, impediu o mercado de ações brasileiro de tirar proveito desse contexto favorável aos investimentos de risco, segundo economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, autor do levantamento.

O desempenho do Ibovespa ficou, por exemplo, muito abaixo do que o obtido por índices de países em desenvolvimento com características semelhantes às do Brasil, como China (-0,15%), África do Sul (7,87%), Índia (18,06%) e Rússia (18,53%). Também ficou distante dos índices americanos Dow Jones (12,67%) e Nasdaq (20,56%).

De julho a novembro, o Ibovespa cedeu 19,6%. A queda fica em 28,6% considerando o cálculo em dólar.

Ler matéria completa

×