Bauru

Economia & Negócios

INSS: aposentados e pensionistas terão correção de 10,1%

Com o reajuste, o teto do INSS sobe de R$ 6.443,57 para R$ 7.087,22

por FolhaPress

12/01/2022 - 05h00

Marcello Casal JrAgência Brasil

Economia, Moeda Real,Dinheiro, Calculadora

São Paulo - Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem mais de um salário mínimo terão aumento de 10,16% em 2022.

O reajuste segue a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a dezembro de 2021. Com o reajuste, o teto do INSS sobe de R$ 6.443,57 para R$ 7.087,22.

Antes da vigência da regra acabar e não ser renovada pela gestão Bolsonaro, os trabalhadores já estavam recebendo apenas o INPC porque o país não estava crescendo. Quando o PIB ficou negativo, o efeito sobre a fórmula foi nulo.

O Dieese estima que 56,7 milhões de pessoas no Brasil tenham o salário mínimo como referência para seus rendimentos.

O reajuste do mínimo também gera impacto nas contas públicas, já que aposentadorias e outros benefícios são atrelados ao piso. O Ministério da Economia estima que cada R$ 1 de aumento no valor do piso gere um aumento de R$ 364,8 milhões com os pagamentos de benefícios previdenciários, seguro-desemprego e BPC (benefício de prestação continuada) em 2022.

A portaria que oficializa o reajuste de aposentados que ganham acima de um salário mínimo ainda precisa ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) pelo governo federal.

Já a correção do salário mínimo em 2022 ficou R$ 1 abaixo do valor necessário para repor o poder de compra dos trabalhadores. A tendência é que a diferença seja compensada no início de 2023, quando o governo precisará novamente aumentar o piso nacional.

A lei permite que o ajuste seja feito no ano seguinte.

O INPC teve uma variação maior que o previsto, de 10,16%, segundo divulgou nesta terça-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Para repor a inflação, o piso deveria chegar a R$ 1.212,70 - ou R$ 1.213 após o arredondamento. O valor é R$ 1 superior ao que está fixado e em vigor atualmente.

Ler matéria completa

×