Bauru

Economia & Negócios

Bahia e Pernambuco lideram desemprego no País

Mais de 3,4 milhões de brasileiros estão na fila do desemprego há mais de 2 anos

por FolhaPress

14/05/2022 - 05h00

São Paulo - O desemprego ficou estável em 26 unidades federação no primeiro trimestre de 2022, frente ao anterior, com a estabilidade da taxa nacional, que foi de 11,1%, de acordo com dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, divulgada nesta sexta-feira (13) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

As maiores taxas de desocupação foram as da Bahia (17,6%), de Pernambuco (17%) e Rio de Janeiro (14,9%); na outra ponta, as menores taxas de desemprego foram aferidas em Santa Catarina (4,5%), Mato Grosso (5,3%) e Mato Grosso do Sul (6,5%).

A única queda ocorreu no Amapá (14,2%), que variou -3,3 p.p em relação ao quarto trimestre de 2021.

Os dados divulgados em abril já apontavam que a taxa de desemprego ficou estável, com a procura por vagas de trabalho travada nos primeiros três meses do ano. De janeiro a março, a taxa de desocupação foi de 11,1%, mesmo nível do quarto trimestre de 2021.

ESTABILIDADE

Segundo os analistas do IBGE, o fato de não haver crescimento na busca por trabalho no trimestre, explica a estabilidade da desocupação. O cenário é diferente do registrado nos outros trimestres terminados em março, quando havia aumento da procura por trabalho.

O número de pessoas que estavam procurando trabalho por dois anos ou mais ficou em 3,46 milhões no primeiro trimestre.

Essa foi a segunda maior proporção de pessoas há mais de dois anos procurando trabalho (29%) na série da Pnad Contínua e houve desaceleração em relação aos que estavam nessa situação no quarto trimestre do ano passado (30,3%), mas um aumento ante 2021 (23,5%).

Ler matéria completa

×