Bauru e grande região

Esportes

Amistoso: Estoril estraga festa noroestina

Rafael Aidar marcou o único gol alvirrubro contra o time português: futebol apresentado já preocupa o torcedor

por Wagner Teodoro

22/07/2010 - 07h00

Não foi a festa que o Noroeste esperava. O Estoril Praia, da Segunda Divisão de Portugal, se mostrou um convidado indigesto e venceu o amistoso comemorativo ao centenário alvirrubro por 2 a 1, ontem à noite, no estádio Alfredo de Castilho. O time português, que teve apenas dois portugueses em campo durante os 90 minutos, marcou no finalzinho do segundo tempo e frustrou os 1200 pagantes que compareceram ao Alfredão para celebrar o momento histórico vivido pelo time bauruense.

Oito brasileiros figuravam na formação titular do técnico Vinícius Eutrópio, também brasileiro, no início da partida. Somente Lameirão e Tiago Costa eram os portugueses em campo. A equipe estrangeira tinha ainda o norte-americano Bryan. No primeiro tempo, o Estoril fez o gol logo no início e depois não criou praticamente mais nada. Já o Noroeste, atrás no placar, buscou o jogo, teve chances de virar, criando suas principais oportunidades pelo lado direito, com Rafael Aidar.

Na segunda etapa, o Noroeste caiu muito de produção e não criou nenhuma chance real de gol. O goleiro Cléber não foi acionado, já que os poucos arremates alvirrubros foram para fora do gol. O Estoril, por outro lado, se soltou e foi melhor durante todo o período, conseguindo a vitória em cobrança de penalidade já nos minutos finais.

O Noroeste só volta a jogar no dia 28, quando retorna à Copa Paulista diante do Penapolense, em Penápolis. Na Copinha, o Norusca não teve uma boa estreia, perdendo para o Linense por 3 a 0, também no Alfredão.

Jogo

Logo aos três minutos, o Noroeste ameaçou pela primeira vez em boa troca de passes entre Rafael Aidar e Almir Dias, que Paulo Roberto não conseguiu concluir. O Estoril foi mais contundente. Vinícius cobrou falta, a zaga do Noroeste afastou parcialmente e a sobra ficou com o próprio Vinícius, que mandou a bomba no ângulo, sem chances para Yuri: 1 a 0, aos seis minutos.

Aos 16, o Noroeste chegou ao empate. Paulo Roberto recebeu bom passe pelo alto, ajeitou com o peito para Rafael Aidar, que bateu de primeira no canto do goleiro Cléber e deixou tudo igual. Aos 23 minutos, o Norusca teve a chance de virar. Rafael Aidar acionou o lateral Rafael Mineiro, que ganhou na corrida da zaga, invadiu a área, mas demorou a finalizar, permitindo a defesa do goleiro Cléber, que abafou o lance.

Aos 28, novamente em jogada de Rafael Aidar, o Noroeste levou perigo. O atacante chegou ao fundo e cruzou para área. Após corte parcial da defesa portuguesa, a bola ficou com Cléverson que bateu para desvio da zaga. Três minutos depois, Almir Dias testou o goleiro Cléber em chute da intermediária. Aos 34, foi a vez de Roque arriscar em cobrança de falta, que Cléber defendeu. O Estoril só voltou a ameaçar aos 42 minutos em chute de fora da área.

Os times voltaram modificados para o segundo tempo. No Noroeste houve troca de goleiros:entrou Alexandre Villa no lugar de Yuri. No Estoril, Eutrópio trocou Ismaily por Jeferson e Bryan por Alex Afonso.

Aos 11 minutos, o técnico Marcos Antônio Ribeiro promoveu a estréia do meia-atacante Marcus Vinícius no lugar de Cléverson. Logo a seguir, alteração também no Estoril: entrou o norte-americano Toni na vaga de Clodoaldo. A esta altura, o Estoril, que voltara com mais atitude para a segunda etapa, tomava a iniciativa do jogo e pressionava o Noroeste, que havia recuado, tentando encaixar um contra-ataque.

Aos 19 minutos, por pouco o domínio do Estoril não se traduziu em gol. Jeferson partiu com velocidade pela esquerda, passou por dois marcadores e pôs a bola na área. Tony tentou finalizar, a bola ficou viva na pequena área e a defesa noroestina conseguiu afastar o perigo. As chances do Estoril se sucediam. Aos 24, Rafael Ueta, que entrara há pouco, cobrou escanteio fechado e assustou o goleiro Alexandre Villa.

Aos 31, um fato inusitado. Misael entrou em campo, na vaga de Rafael Mineiro, usando a camisa 14, a mesma numeração de Leleco, que já estava no jogo. Aos 37, Tony protegeu bem a bola e passou de calcanhar para Rafael Ueta, que avançou e chutou forte para difícil defesa de Villa. Cinco minutos depois, o noroestino Willian Leandro arriscou de longe e mandou para fora.

A resposta do Estoril definiu a partida. Tony recebeu cruzamento de Alex Afonso e foi puxado por Geílson na pequena área, quando se preparava para marcar. Pênalti. Vinícius cobrou bem, no canto esquerdo de Villa, aos 43 minutos, e fechou o placar, estragando a festa. Não deu tempo de reação para o Norusca, que deixou o gramado vaiado pela insatisfeita torcida.

Ler matéria completa