Bauru e grande região

Esportes

Noroeste terá a 20.ª participação na Copa SP de Futebol Junior

E 'Alfredão' é sede do Grupo 6; e Lela confirma negociação com o Norusca; veja no final

por Thiago Navarro

01/01/2016 - 07h00

João Rosan
O atacante Tuxa (com a bola), um dos destaques do time de 2015, quando o Norusca quase avançou à segunda fase, é um dos atletas que defenderão o Norusquinha na tradicional competição

O torneio mais tradicional do futebol de base brasileiro começa nesse sábado (2). A 47ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior vai reunir 112 clubes em 28 estádios, distribuídos por 27 cidades (a Capital do Estado recebe duas chaves). E pelo terceiro ano seguido, Bauru será sede, com o Noroeste na cabeça-de-chave.

A estreia é amanhã, às 16h, diante do Palmas/TO, no Estádio Alfredo de Castilho, com entrada gratuita. União Barbarense e Coritiba/PR são os outros dois integrantes do Grupo 6.

A cidade receberá o torneio pela décima vez. A primeira foi em 1991, depois em 1993, 1999, 2003, 2004, 2005, 2006, 2014 e 2015. E atuar no Estádio Alfredo de Castilho é um dos trunfos do Alvirrubro para avançar de fase. O time bauruense vai para sua 20ª participação na Copinha, e, nas outras 19 edições em que esteve presente, conseguiu chegar à segunda fase em cinco delas, sendo que em quatro o time jogou a primeira etapa em casa.

Para este ano, o Noroeste tem como treinador Roderlei Pachani, que foi o técnico do time sub-17 em 2014. Do time que quase conseguiu a classificação ano passado, poucos permaneceram. Um deles é o atacante Tuxa, que foi destaque em 2015, quando o Alvirrubro por pouco não avançou à 2ª fase, depois de golear o Comercial do Piauí e vencer o Luverdense, mas a equipe perdeu para o Fluminense na última rodada.

Novidade

Pachani será o técnico do Noroeste pela primeira vez em uma Copa SP. Ele substitui Luciano Sato, que foi o treinador nas quatro edições anteriores (de 2012 a 2015) e é o técnico recordista de jogos pelo clube no torneio, com 12 partidas. Pachani acredita que a preparação para a Copinha foi boa. “Todos estão focados e procuramos extrair o máximo dos atletas. Estamos em um grupo onde o Coritiba é o favorito, mas temos que respeitar todos os adversários”, destaca.

Patrocínios

O presidente Emílio Brumati confirmou ao JC que está negociando com patrocinadores para a disputa da Série A-3, tanto de cota máster quanto de valores menores, mas que a maioria das empresas pediram para dar resposta este mês.

Passam dois

Uma novidade da edição deste ano da Copinha é que os dois primeiros colocados dos grupos avançam à 2ª fase. Até o ano passado, apenas o campeão de cada chave e os melhores segundos colocados passavam. Em contrapartida, o torneio ganhou uma etapa – além da segunda fase, haverá uma terceira fase até que comece as oitavas de final. Todas essas etapas são em jogo único e de caráter eliminatório. Os times que chegarem à final, prevista para 25 de janeiro, no Pacaembu, vão fazer ao todo nove partidas, contra oito até 2015.

Para o treinador noroestino, a novidade é boa, mesmo que isso tenha implicado em menos tempo entre os jogos – o intervalo entre as partidas caiu de três para dois dias. “O time grande sempre entra como favorito, então passando dois a possibilidade do time da casa avançar é maior. A intenção é conseguir duas vitórias na chave e chegar classificado na rodada final com o Coritiba”, projeta Pachani.

Acerto de Lela só deve ocorrer na segunda-feira

Thiago Navarro

João Rosan
Lela (em foto de arquivo) imita sua tradicional comemoração de gols: “Interesse eu tenho, sou de Bauru. Mas não tem nada fechado”, diz o ex-jogador sobre a negociação em andamento com o clube

Conforme o JC antecipou na edição dessa quinta-feira (31), o Noroeste negocia com o ex-atacante Lela para comandar o time principal na disputa da Série A3 do Campeonato Paulista, que começa em 31 de janeiro. A estreia do Alvirrubro é diante do Grêmio Osasco, no Estádio Alfredo de Castilho.

No final da manhã dessa quinta, a reportagem do JC conversou com Lela, que confirmou o interesse do Noroeste, porém disse que ainda não houve acerto. “Vou voltar a falar com o Emílio (Brumati) na segunda-feira”, comentou.

Segunda-feira é o dia da reapresentação do elenco noroestino que vai jogar a Série A3. Segundo Lela, ele e o presidente Emílio Brumati dialogaram sobre o projeto do Noroeste para a Terceirona, mas sem acertar bases salariais. “Interesse eu tenho, sou de Bauru. Mas não fechamos nada. Na conversa que tive com o presidente ele me falou do projeto do clube, que é se reestruturar e chegar forte na A3. É um campeonato difícil, e esse ano será mais ainda, só sobem dois”, lembra.

Experiência

Após encerrar a carreira como atleta, Lela comandou equipes de base do Noroeste entre 2006 e 2008, quando foi técnico do sub-15, sub-17 e sub-20, estando à frente do time em duas edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior (em 2007 e 2008). Foi ainda treinador do Marília em uma Copa São Paulo e do Araçatuba na Série A3 de 2010, quando classificou a equipe entre as oito melhores do torneio.

Apesar de ainda não ter acertado oficialmente, Lela sabe que terá missão dura pela frente. Serão apenas 25 dias para preparar o elenco para a estreia, no final de janeiro. Possivelmente, Lela indicaria alguns atletas com passagem pela Série A3, para se somar ao grupo que já vem treinando no Alfredão.

Auxiliares

O técnico do Noroeste na Copa São Paulo, Roderlei Pachani, pode ser um dos auxiliares de Lela na A3. A diretoria pretende mantê-lo no clube, uma vez que a intenção do Alvirrubro é disputar o Paulista Sub-20 da Primeira Divisão, que começa em meados de abril. Até lá, Pachani também poderia auxiliar no time principal, uma vez que a Série A3 vai de janeiro a maio. Do elenco da Copinha, pelo menos cinco atletas devem ser promovidos ao time profissional.

Reforços à vista

Sem a possibilidade de contratar o zagueiro Zelão, que tinha proposta do Noroeste mas acertou com o Penapolense, anteontem, o clube segue com o interesse de trazer o zagueiro Marcelinho, um dos principais nomes do acesso na Série B e que depois foi para o Votuporanguense. “Ele teve alguns problemas com o acerto dele lá, e existe a possibilidade de retornar para o Noroeste. Estamos esperando uma resposta dele até a semana que vem”, cita o presidente Emílio Brumati.

Já o goleiro Aranha deve ser emprestado. “Tem algumas equipes que nos procuraram interessadas em contar com ele, mas nada fechado ainda. Vamos definir agora em janeiro a situação do Aranha, o mais provável é que ele seja emprestado”, afirma o dirigente. Em relação a chegada de algum jogador da Ferroviária, Brumati diz ser pouco provável. “Vários deles estão indo para o Marília, acho que possivelmente não deve vir ninguém de Araraquara”, completa. “Queremos trazer um goleiro, um volante e um lateral esquerdo”, projeta o dirigente.