Bauru e grande região

Esportes

Pelo resultado

No 100º jogo de Neymar, Tite deixa testes de lado para Seleção voltar a vencer

10/10/2019 - 06h00

Pedro Martins/MoWA Press

Neymar completa marca centenária pela Seleção e jogo ganha importância para ratificar novo momento do craque após turbulências

O duelo é histórico para Neymar, que alcançará a marca de 100 jogos disputados pela Seleção Brasileira, e, em tese, apenas mais um amistoso que poderia ajudar Tite a encontrar opções para a disputa das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, a partir de 2020. Mas o treinador decidiu encarar o jogo muito a sério e vai escalar a base da equipe que faturou a Copa América nesta quinta-feira (10), a partir das 9h (de Brasília), quando o Brasil terá Senegal pela frente no Estádio Nacional de Cingapura.

Campeã continental em casa em julho, em uma conquista que deu fôlego e mais tranquilidade ao trabalho desenvolvido por Tite, a Seleção tropeçou nos dois jogos que disputou após a Copa América, empatado com a Colômbia por 2 a 2 e perdendo para o Peru por 1 a 0, em amistosos realizados nos Estados Unidos. E, para evitar novo resultado ruim, decidiu usar os jogadores que compõem o seu time-base.

"Futebol é o que se vê e o que se sente. Às vezes, tem fora do jogo, o convívio, o treino, mesmo que seja um período mais enxuto dessa vez. Mas é a realidade minha e das outras seleções também", afirmou Tite, justificando a falta de testes contra Senegal.

Assim, as únicas novidades da Seleção na comparação com a formação que conquistou a Copa América serão Ederson e Neymar. O goleiro do Manchester City assume a vaga que vem sendo de Alisson com Tite, pois o titular está contundido. E o atacante do Paris Saint-Germain, que não atuou no torneio por causa de uma lesão, retoma sua vaga, em detrimento de Everton Cebolinha.

ESPECIAL

Não será, porém, apenas mais um amistoso para Neymar, pois o atacante chegará, aos 27 anos, aos 100 jogos disputados pela Seleção. Nessa série, iniciada em 2010, soma apenas um título oficial conquistado - a Copa das Confederações de 2013 - e a participação em duas Copas do Mundo, ambas marcadas por turbulências, com a grave lesão sofrida em 2014 e polêmicas por simulações de faltas em 2018. E o palco do amistoso é marcante para Neymar, afinal, em 2014, foram dele todos os gols do Brasil no amistoso contra o Japão, vencido por 4 a 0.

O confronto com Senegal também é importante para ampliar o seu bom começo de temporada. Livre de lesão, ele a iniciou primeiro pela Seleção, participando dos dois amistosos de setembro, com um gol marcado contra a Colômbia. Depois, em ação pelo Paris Saint-Germain, fez quatro gols em cinco jogos disputados. E precisará de muito mais para recuperar o apoio da torcida do clube e voltar a sonhar com a briga pelo prêmio de melhor do mundo.

"Tem que estar com a cabeça boa e preparado para dar a volta por cima. Busco isso para esta temporada, estar bem, torcer para que nada de mau aconteça. Terminando a temporada pode ter certeza que vou ficar sim entre os melhores", afirmou Neymar.

Tite aposta em time experiente e Mané preocupa

Sem fazer testes, Tite vai colocar em campo uma Seleção cheia de jogadores experientes, como o lateral Daniel Alves, que terá 39 anos na época da Copa do Mundo de 2022, e o zagueiro Thiago Silva, que vai estar com 38 quando torneio se iniciar no Catar.

Assim, ainda que tenha convocado quatro novatos para os amistosos - os laterais Marcinho e Renan Lodi, o volante Matheus Henrique e o goleiro Santos -, os testes deverão ficar para o outro compromisso da seleção nesta data Fifa, contra a Nigéria, domingo (13), novamente em Cingapura.

Vice-campeão da Copa Africana de Nações, Senegal causa preocupação a Tite, especialmente pela qualidade de Sadio Mané, atacante do Liverpool e no qual o treinador da Seleção Brasileira votou como terceiro melhor do mundo na premiação The Best da última temporada. "Jogador muito móvel, ágil, tem habilidade, tem lance pessoal muito forte", elogiou o treinador brasileiro.

Além do astro do Liverpool, Senegal também conta com outros jogadores de destaque em outros grandes clubes do futebol europeu, como o zagueiro Koulibaly, do Napoli, o atacante Keita Baldé, do Monaco, e o volante Idrissa Gueye, do PSG. No ranking da Fifa, é a 20ª colocada, sendo a seleção africana bem mais posicionada da lista - o Brasil ocupa o terceiro lugar.

Ler matéria completa