Bauru e grande região

 
Esportes

Jô é punido com dois jogos de afastamento e desfalca Corinthians

Ele levou o gancho por ter praticado "ato hostil" contra o zagueiro Diego Costa

15/09/2020 - 05h00

Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Jô negou soco e disse ter dado um "empurrão" em Diego Costa

O atacante Jô, do Corinthians, foi punido por dois jogos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta segunda-feira (14). Ele levou o gancho por ter praticado "ato hostil" contra o zagueiro Diego Costa, do São Paulo, no clássico do dia 30 de agosto.

Jô foi inicialmente denunciado por praticar agressão física, prevista no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que poderia ter pena de quatro a 12 partidas de suspensão. No entanto, o ato foi desclassificado para o artigo 250, que é "praticar ato desleal ou hostil durante a partida".

O atacante prestou depoimento de forma virtual e alegou ter dado um "empurrão" em Diego Costa. Após o lance no clássico, o zagueiro do São Paulo reclamou e afirmou ter levado um soco. 

"Dentro do futebol existe sempre contato físico, naquele momento acontecia uma jogada pela direita, eu vinha para o ataque e o Diego entrou na minha frente. Para antecipá-lo, para chegar na frente, acontece o empurrão, como vocês podem ver na imagem, é uma briga de espaço. Acabei empurrando, sim, mas acredito que não seja agressão, foi briga de espaço. Nunca me envolvi em algo parecido, sou um jogador de passado tranquilo e espero continuar assim", disse Jô durante o julgamento.

Com a pena, Jô desfalcará o Corinthians contra o Bahia, nesta quarta-feira (16), e Sport, no dia 23, nas próximas duas rodadas do Campeonato Brasileiro. O outro centroavante do elenco, Mauro Boselli, se recupera de lesão e ainda é dúvida. Com isso, o centroavante Cauê, do sub-20, foi chamado pelo técnico interino Dyego Coelho para integrar o elenco profissional.

Time treina após tensão

Sem tempo para perder, o Corinthians voltou a treinar nesta segunda-feira (14), após a derrota para o Fluminense, no domingo (13), e o desembarque tumultuado no Aeroporto de Guarulhos pela noite. Dyego Coelho comandou treino técnico mirando o duelo contra o Bahia, nesta quarta-feira (16).

No domingo, no trajeto entre a saída do aeroporto e o ônibus, torcedores, dentre eles membros da organizada Gaviões da Fiel, avançaram nos jogadores, que tiveram que correr para dentro do veículo. Xingamentos e palavras de ordem direcionados ao elenco puderam ser ouvidos.

Os seguranças do Corinthians tentaram controlar a situação e entraram em conflito com os torcedores. Os nomes mais experientes da equipe alvinegra, como o goleiro Cássio e o zagueiro Gil, foram os que mais sofreram pressão. Rodrigo Tapia, o Digão, presidente da Gaviões da Fiel, justificou a cobrança forte em cima dos ídolos.

"A cobrança tem que ser em cima desses caras mesmo, são os caras experientes. Esses caras estão nos fazendo passar vergonha. E todo jogo vai ser assim. Se a gente não ver raça e vontade, vamos 'embaçar' na vida de todo mundo", afirmou.

"Nós pagamos nossos ingressos, falamos com eles e eles dizem que está tudo em dia, cobramos a diretoria... Se eles não melhorarem, vamos 'embaçar' todo jogo. Antes era técnico, depois virou salário, agora é o quê? Esses 'vagabundos' querem que tipo de perfil para trabalhar?", disse outro torcedor.

Ler matéria completa