Bauru e grande região

 
Esportes

Nocaute

"Pesadelo" de Adesanya, Alex "Poatan" Pereira volta ao MMA com uma atuação incrível

por Estadão Conteúdo

22/11/2020 - 05h00

Reprodução/LFA Twitter

Alex "Poatan" Pereira (de amarelo) começa também a deixar seu nome conhecido no MMA

Um dos principais nomes do kickboxing brasileiro e mundial, e campeão de duas categorias do Glory (principal evento da modalidade), Alex "Poatan" Pereira começa também a deixar seu nome conhecido no MMA. O brasileiro de 33 anos estreou com o pé direito no LFA 95 na noite desta sexta-feira com vitória incrível ainda no primeiro round sobre o norte-americano Thomas Powell.

Poatan subiu ao octógono pela luta principal e fez exatamente o que se espera dele: golpes precisos e potentes, capaz de derrubar os adversários mais duros. Israel Adesanya que o diga, já que foi derrotado duas vezes pelo brasileiro. A vítima desta vez foi Powell, que depois de defender o combo de chutes altos do oponente, acabou vítima do cruzado de esquerda quase fatal, ficando inconsciente no chão por bons minutos.

Cruzado de esquerda esse que já fez Adesanya apagar, igual ao que aconteceu na noite desta sexta-feira. Em ascensão no UFC, o nigeriano foi vítima do golpe de Poatan em 2017, na segunda luta entre os dois. A primeira foi em 2016, e também positiva para o brasileiro, que acabou vencedor por decisão unânime. Os dois confrontos foram realizados no kickboxing.

Porém, no MMA a história é diferente. As regras são outras, assim como as estratégias. Enquanto no kickboxing uma sequência grande de golpes pode favorecer quem aplica, nas artes marciais mistas esse tipo de estratégia pode fazer com que o rival coloque no chão mais facilmente. Mas Alex Poatan tem experiência e é inteligente, tanto que passou a treinar com o brasileiro Glover Teixeira justamente para aprimorar seus pontos fracos, pensando na mudança de estilos de luta entre as modalidades, principalmente no embate de chão.

A vitória ainda no primeiro round nesta sexta-feira marcou a volta de Poatan aos octógonos após quatro anos. Seu cartel no MMA agora é de três vitórias (todas por nocaute) e apenas uma derrota. O objetivo é ganhar experiência e fazer um bom currículo para que em breve possa cavar uma vaga no UFC e, consequentemente, encarar Adesanya em uma eventual disputa de cinturão.

Ler matéria completa