Bauru

Esportes

Grupo definido

Tite anuncia lista dos jogadores convocados para a disputa de torneio

10/06/2021 - 05h00

Zô Guimarães/Folhapress

Técnico Tite durante coletiva

O técnico Tite revelou, nesta quarta-feira (9), a lista com o nome dos 24 jogadores que defenderão a Seleção Brasileira na disputa da Copa América, com início previsto para o próximo domingo (13), em solo nacional.

Tite manteve o mesmo grupo que disputou as duas últimas partidas pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar, com vitórias sobre Equador e Paraguai. A única alteração é a ausência do zagueiro Rodrigo Caio, que foi chamado nos dois jogos para substituir Thiago Silva, do Chelsea. Recuperado de lesão, o experiente zagueiro será uma das principais opções do treinador na Copa América.

Apesar da boa fase, com a liderança absoluta nas Eliminatórias, a Seleção tem enfrentado tempos de intenso desgaste. Rogério Caboclo, presidente da CBF, está afastado da entidade por conta de denúncias de assédio sexual e moral vindos de uma funcionária O mandatário se diz inocente, mas a imagem está bastante arranhada, com inquéritos abertos no Ministério Público do Trabalho.

A decisão polêmica tomada por parte do Brasil em sediar a Copa América também tem sido motivos de discussões ao redor do mundo. Isso porque a pandemia de Covid-19 ainda está matando milhares de pessoas diariamente no mundo todo, e no País não é diferente. Por conta disso, a Fifa investiga a CBF por possível influência política que possa ocorrer na entidade que organiza o futebol brasileiro. O presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, é totalmente a favor da realização do evento de seleções.

O caso tomou impacto tão grande que, mesmo atual campeão da Copa América, o Brasil passou por questões internas. O senador Renan Calheiros, relator da CPI da Covid, escreveu uma carta aberta onde pede aos atletas que não participem do torneio. Protesto dos jogadores (leia mais abaixo nesta página) e até a saída do técnico do Tite também estiveram em pauta. No entanto, tanto os atletas como o técnico continuam onde estão e participarão da competição.

Os jogadores se apresentam nesta sexta-feira (11), em São Paulo. O Brasil estreia na Copa América no domingo, contra a Venezuela, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Além da seleção de Tite e do primeiro adversário, também estão no Grupo B a Colômbia, o Equador e o Peru. A Chave A tem Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.

Seleção retorna do Paraguai sem tomar vacina contra Covid-19

A Seleção Brasileira voltou do Paraguai após a vitória sobre os donos da casa por 2 a 0 pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, nesta terça-feira (8), sem receber a primeira dose da vacina contra Covid-19. Incertezas sobre a aplicação da segunda dose inviabilizaram os planos de imunização do departamento médico da CBF. Embora a vacinação não seja obrigatória para a disputa da Copa América, jogadores e funcionários que desejassem receberiam as doses.

A vacinação da Seleção Brasileira ocorreria na sede da Conmebol, em Assunção. A dúvida sobre a aplicação da segunda dose motivou a desistência da CBF. A confederação sul-americana recebeu 50 mil doses do laboratório chinês Sinovac Biontech para os membros das seleções e clubes de seus dez países filiados. As doses estão sendo distribuídas para os elencos profissionais do futebol sul-americano, masculinos e femininos. Árbitros e comissões técnicas estão incluídos.

O departamento médico da Seleção esperava receber uma autorização, por meio de portaria do Ministério da Saúde, para importar as vacinas e aplicá-las no País. Mas não conseguiu. Os participantes da Copa América não entraram no grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização (PNI), medida que foi adotada para os atletas que vão disputar as Olimpíadas de Tóquio. De acordo com a legislação atual, as vacinas que entram no País devem ser destinadas ao SUS (Sistema Único de Saúde).

Também existe preocupação do corpo médico da Seleção quando ao melhor momento de aplicação da segunda dose. As vacinas da Sinovac precisam ser aplicadas com um intervalo de até 28 dias. Com isso, a imunização seria completada durante a Copa América, o que não é recomendado pelos especialistas. Existe a possibilidade de reações após a vacinação, como febre e dores musculares. Além disso, muitos atletas vão voltar para a Europa, o que poderia causar conflito entre os laboratórios fabricantes das vacinas, em caso de aplicação da segunda dose por lá.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na segunda-feira (7), que a vacinação das comitivas não será obrigatória.

Em manifesto, atletas criticam torneio, mas confirmam participação

Por meio das redes sociais, os jogadores da Seleção Brasileira divulgaram o manifesto sobre a realização da Copa América no Brasil, após a vitória sobre o Paraguai nesta terça-feira (8), pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. No texto, os atletas se posicionaram contra a competição que começa no domingo (13), em solo nacional, mas confirmaram a participação. "Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira."

No manifesto, os jogadores explicam que não houve tentativa ou sugestão de boicote à Copa América. Assim se limitaram a expor o desconforto com as mudanças de sede e dificuldades com a organização. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro usaram as redes sociais, nos últimos dias, para criticar a postura da Seleção Brasileira, principalmente do técnico Tite, contrária ao evento no Brasil.

"Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização. É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes."

Ler matéria completa