Bauru

Esportes

Após Brasil x Argentina em São Paulo, CBF quer jogo da seleção no Nordeste

Fazer jogos em território nacional não estava nos planos comerciais e políticos da entidade, mas é o que há no horizonte para evitar mais enrolo com os argentinos

por Igor Siqueira, FolhaPress

22/06/2022 - 17h58

Reprodução

Tite

Se o cenário jurídico não mudar, o confronto pendente entre Brasil e Argentina será na Neo Química Arena, em São Paulo. E depois dessa partida de setembro, pelas Eliminatórias, a CBF estuda mandar para o Nordeste o último amistoso da seleção brasileira antes da Copa do Mundo do Qatar.

Fazer jogos em território nacional não estava nos planos comerciais e políticos da entidade, mas é o que há no horizonte para evitar mais enrolo com os argentinos — como saldo da interrupção do clássico em setembro do ano passado, a Fifa determinou que a partida fosse jogada novamente, em 22 de setembro.

A CBF tenta um ajuste com a Fifa para empurrar a partida para o dia 23 e assim ter tempo hábil para usar a Granja Comary como local dos treinos. A preferência é ir a Teresópolis pela estrutura à disposição. Se não conseguir, a apresentação e a preparação acontecerão em São Paulo mesmo.

O jogo seguinte, último antes do Qatar, deve ser em 27 de setembro. Por questões logísticas, Salvador aparece como boa opção. A seleção jogaria lá em março, contra o Chile, mas restrições de público relacionadas à covid-19 fizeram a CBF trazer a partida para o Maracanã, no Rio.

Salvador é vista com bons olhos também por ser a capital nordestina mais próxima de São Paulo, onde ocorrerá o jogo anterior. No entanto, a diretoria de seleções vai se atentar a alguns aspectos técnicos antes de tomar a decisão. A começar pelo gramado. É preciso combinar com a administração da Arena Fonte Nova um período antes sem jogos para preservação do campo. Logo, haveria impacto na rotina do Bahia.

Além disso, há a questão de espaço. O comando da CBF, hoje, trabalha com a informação de que o governo estadual ainda mantém aparato médico e estrutural para a necessidade eventual de remontar um hospital de campanha.

Quanto ao adversário, a busca é por seleções da Concacaf ou algum africano. A CBF já sabe que não conseguirá agendar nada com o México, por exemplo. Por isso, estuda um meio de ajustar a agenda com Estados Unidos, Canadá ou Costa Rica, considerando os adversários possíveis nas Américas do Norte e Central. De qualquer forma, trazer a seleção estrangeira para o Brasil é um fator que dificulta ainda mais a tarefa.

Os jogos em setembro serão o último contato da seleção brasileira com o país. A apresentação antes da Copa, em novembro, já será na Europa. A CBF está discutindo os termos do contrato para usar o CT da Juventus, em Turim, na Itália, por cerca de uma semana. A estreia no Qatar é em 24 de novembro, contra a Sérvia, no estádio Lusail.

Ler matéria completa

×