Bauru e grande região

Geral

Estado entrega em Bauru um espaço inédito para pessoas com deficiências

Espaço pioneiro no Estado será inaugurado hoje por Geraldo Alckmin

por Ricardo Santana

19/09/2011 - 03h00

Malavolta Jr.

Idealizador do equipamento esportivo, Fábio Manfrinato quer montar time de vôlei adaptado

Por meio do esporte, forma de consagração pessoal e coletiva, Bauru inaugura hoje um espaço de integração inédito no Estado de São Paulo, que servirá de modelo. Sem obstáculos arquitetônicos, a Praça Paradesportiva abrirá suas portas para crianças, jovens e adultos com ou sem deficiência. Ao perseguir a ideia de inclusão, concretizada na quadra 5 da avenida Nuno de Assis, o antigo espaço público que havia no local foi totalmente remodelado.

O atual se propõe a promover saúde, qualidade de vida, entretenimento, confraternização e, por que não, novos talentos. Terá a placa descerrada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Com o projeto de acessibilidade plena, o bauruense que passar pelo Jardim Bela Vista terá a chance de acompanhar cadeirantes praticando handebol, tênis, basquete e futebol. Grupos jogando vôlei adaptado enquanto deficientes visuais batem bola em outra quadra. O objetivo é unir a todos e excluir apenas preconceitos.

A inauguração também contará com a presença da secretária estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, do deputado estadual Pedro Tobias (PSDB) e do prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB). Idealizador do equipamento esportivo, o assessor de acessibilidade da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural de Bauru (Emdurb) Fábio Manfrinato explica que foram investidos R$ 1,6 milhão provenientes da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e contrapartida da Prefeitura de Bauru no valor de R$ 27.422,61, mais a doação da área em terreno de 3.500 metros quadrados.

Portador de deficiência, ele é pentacampeão mundial de luta de braço. Acredita que nas quadras da Nuno de Assis poderão ser descobertos talentos para o esporte paraolímpico brasileiro. Seu próximo projeto é montar na Praça Paradesportiva um time de vôlei adaptado. Ele próprio quer praticar o esporte.

Cita, no entanto, que a Paradesportiva não visa esporte de alto rendimento e formação de atletas. É um lugar de convívio esportivo, capaz de abarcar até quem gosta de ler ao ar livre, enquanto os filhos brincam na caixa de areia do playground.

O assessor da Emdurb informa que um grupo de profissionais da prefeitura já trabalha na elaboração de uma programação de atividades na Paradesportiva. De acordo com Manfrinato, a população também poderá agendar a utilização das quadras com agendamento prévio na Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel).

 


• Serviço


A inauguração da Praça Paradesportiva será hoje, a partir das 12h30. Está instalada na quadra 5 da avenida Nuno de Assis, paralela com

a rua São Paulo.

 

Cobertura respeita incidência do Sol

A arquitetura da Praça Paradesportiva, vista do alto do viaduto da rua Treze de Maio, transformou a quadra  5 da avenida Nuno de Assis num cartão postal. O projeto foi elaborado pelos arquitetos Emerson Crivelli e Priscila Cucci e doado ao município pela associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bauru (Assenag). Crivelli, presidente da Associação, ressalta que as quadras e os demais espaços foram pensados para a convivência e relacionamento dos usuários do aparelho de esporte e lazer.

Ele ressalta que a cobertura proporciona sombra durante todo o dia, respeitando a incidência solar. Três estruturas metálicas sobrepostas e em alturas diferentes garantem o conforto térmico de quem está malhando na sombra. O desenho das estruturas é uma mão em formato de concha, imagem vista do alto do viaduto João Simonetti, continuação da rua Treze de Maio.

A circulação de ar também foi planejada, sendo que as laterais ficaram livres. Crivelli ressalta que essas estruturas representam a solução criativa do projeto.

 

Terreno estreito era desafio

O encaixe das três quadras e demais espaços em um terreno estreito tornou-se quebra-cabeça para os arquitetos. Emerson Crivelli e Priscila Cucci, criadores do projeto arquitetônico, fizeram a distribuição das quadras respeitando a largura do terreno. A quadra de futebol society ficou com a parte mais larga, seguida pela poliesportiva e a de tênis ocupando uma largura menor que as outras duas.

Ainda foram projetados os banheiros e recepção, duas áreas para jogos, um playground e um caramanchão, setor cercado por bancos. No caramanchão haverá ainda sombra para que mães curtam um bate-papo observando os filhos brincando em um playground na caixa de areia. O projeto ainda aproveitou o entorno da Paradesportiva para instalar uma pista para corrida. Todo o espaço tem sistema de iluminação para utilização noturna.

Para Crivelli, todos os setores possibilitam o entrosamento das pessoas. O conceito que baliza a Paradesportiva é justamente o de compartilhar espaços. Fábio Manfrinato, assessor de acessibilidade da Emdurb, acrescenta que será instalada brevemente uma academia ao ar livre. Contará com aparelhos específicos para a prática de exercícios por parte das pessoas com deficiência. Segundo a Prefeitura de Bauru, por meio de nota da assessoria de imprensa, os equipamentos de exercícios estão em fase de licitação.

O assessor da Emdurb explica que haverá profissionais especializados na área esportiva, entre os quais professores de educação física, para atendimento dos usuários. Esses profissionais serão contratados em concurso público.

A prefeitura definiu que implantará na Paradesportiva projetos sociais esportivos, sendo um para atender cadeirantes praticantes de handebol e outro voltado à comunidade. Segundo a administração, esses programas serão implementados com a sobra de R$ 157.615,47, recursos do convênio com o Estado.

 

Barreiras físicas foram eliminadas


Um aspecto muito explorado no projeto da Paradesportiva é a segurança. Todas as barreiras físicas a partir da rua foram eliminadas. Rampas interligam o asfalto ao calçamento superando o meio-fio, que trava as rodas das cadeiras. O deficiente visual conta com dispositivo de orientação (piso tátil) no chão em todo o entorno da Paradesportiva e em seu interior para se locomover entre as quadras e o restante de espaços.

Da quadra poliesportiva para a de society há uma transposição por rampa, onde há outra entrada. O corrimão desta rampa tripla é multifuncional, com duas alturas distintas. Restando um metro para o final do corrimão há anéis que sinalizam o término do elevado. Brevemente, o corrimão receberá plaquetas com mensagem na linguagem braile, aperfeiçoando a divulgação de informações.

O piso das quadras recebeu um revestimento especial que facilita a locomoção e possui grande durabilidade. A tabela de basquete da quadra poliesportiva é móvel possibilitando fácil manipulação ou ajuste de altura.

 


Esquema de trânsito


A Emdurb preparou um esquema de interdições de vias nas proximidades da Praça Paradesportiva hoje, data da inauguração do equipamento.

A partir das 7h haverá reserva de vagas nos quarteirões 4 e 5, lado ímpar, da avenida Nuno de Assis, entre a rua Alto Purus e o viaduto João Simonetti.  A partir das 7h será proibido estacionamento nos quarteirões 1 e 2, lado par e  ímpar, da rua São Paulo. A partir das 12h, serão interditados os quarteirões 1 e 2 da rua São Paulo e o quarteirão 2 da rua Alto Juruá.