Bauru e grande região

Geral

Águia da PM é referência no Estado

Rapidez e economia: base de helicóptero da Polícia Militar em Bauru é a primeira do Interior a conceder reparos

por Marcele Tonelli

03/07/2012 - 01h55

A base do helicóptero Águia da Polícia Militar (PM) conquistou no início deste ano a permissão para realizar manutenção e reparos nos 21 helicópteros da PM em todo o Estado, passando a ser a primeira do Interior paulista autorizada para isso. Até então, o serviço era realizado somente na Capital, pela matriz da categoria das aeronaves.

“Eles (equipe da base) passaram por quase quatro anos de cursos para conseguir o certificado expedido pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e atuam hoje como mecânicos na base”, ressalta o inspetor de manutenção aeronáutica da base do helicóptero Águia da PM de Bauru, sargento Ricardo Kistein.

O reparo é realizado desde o final do ano passado nos 21 helicópteros da PM tipo ‘Esquilo’, AS-350, das bases de Araçatuba, Presidente Prudente, São José do Rio Preto, Piracicaba e outras, além de Bauru.

Por conta do desempenho da equipe formada por um inspetor e quatro soldados, dois mecânicos - Marcelo Dantas e Alexandre Carvalho - e dois auxiliares de mecânica - Sandro Carvalho e a pioneira Sandra Sungaila, única mulher da turma e a primeira a fazer parte de uma equipe como essa em todo o Estado -, a base de Bauru foi condecorada como a segunda da polícia para reparos de aeronaves desse tipo.

De acordo com o inspetor, o serviço realizado hoje pelo grupo, chamados de “Inspeções Homologadas”, consiste na manutenção das aeronaves a cada 50 ou 100 horas de voo.

“Desmontamos todas as peças, checamos o funcionamento de item por item e, depois de cumprir as inspeções, realizamos um voo para checar e fazemos a entrega junto com a documentação”, explica o sargento Kistein.

Na aeronave de Bauru, ele explica que por conta da facilidade, o reparo é feito a cada sete dias.

 

Performance

Os helicópteros da PM consistem nos modelos AS-350- BA com potência de 670 cavalos e ASS-350 B2, com potência de até 730 cavalos.

Antes da permissão para a realização da manutenção em Bauru, o helicóptero da PM passava cerca de dois dias longe da cidade e dos crimes para a manutenção. O trajeto para São Paulo duraria no máximo 1h30 de voo. O cálculo sobre o gasto de uma aeronave é feito por meio da contagem de litros de combustível por horas. Um helicóptero do tipo ‘Esquilo’ funciona com 180 litros de querosene de aviação por hora.

Segundo o sargento Kistein, o litro de um combustível como esse com preço especial para a para a Polícia Militar chega a custar em torno de R$ 4,00. Somadas as idas e vindas para São Paulo, com a base de mecânica em Bauru, a Polícia Militar economiza um montante de R$ 2.160,00 a cada manutenção.