Bauru e grande região

Geral

Show Aéreo Missão Centenário recebe Marcos Pontes

por Dulce Kernbeis

29/03/2014 - 14h30

Malavolta Jr.

"Até pus um macacão da mesma cor com que cheguei aqui há oito anos atrás, para lembrar o dia", disse Marcos Pontes

O dia de ontem no Aeroclube de Bauru foi mais do que especial. Até parecia um Dia da Criança antecipado.  Cerca de 25 mil pessoas compareceram em grande número às comemorações. Foi uma festa em família. Teve salto de paraquedistas, voo de avião de caça da Marinha, dando rasantes pelos céus, oportunidade de “vestir” o macacão de astronauta,  de observar o céu com lunetas caseiras e muitas bandas de música.

O sonho de ser astronauta, estava estampado na face de Wilson de Oliveira. O microempresário, foi dos primeiros a ultrapassar a corrente que separava a réplica do traje do astronauta brasileiro Marcos Pontes, para ir tirar uma foto devidamente paramentado. Sua companheira, Erica Regina Cruz Brasil, era a “fotógrafa oficial” do momento. “Uma pena que não dá mais tempo” de realizar esse sonho.

Mas dará tempo sim, de ao menos fazer uma viagem de turismo para a estação espacial Bigelow (leia mais na página 5) uma realidade mais próxima do que se imagina, o turismo espacial, acredita Marcos Pontes.

Ao lado do prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB) e do vereador Fernando Mantovani (PSDB) - autor da lei que institui as comemorações do Dia do Astronauta em Bauru-, Marcos Pontes abriu às 10h51 de uma manhã típica bauruense, de muito sol e calor as festividades do Dia do Astronauta Brasileiro. Coube a um paraquedista trazer do céu a bandeira brasileira para o evento que também foi chamado de “Show Aéreo Missão Centenário”. E shows não faltaram. Tudo para lembrar que há 8 anos, o astronauta bauruense, nascido e criado no bairro Bela Vista, ia para o espaço partindo da estação de Baikonur, na Rússia. Era a primeira missão espacial brasileira dando certo.

 

Praticamente desde as 9h da manhã até ao entardecer - apenas por volta das 16h uma chuva espantou um pouco o público - houve atrações no Aeroclube de Bauru. Os presentes puderam assistir a um show de paraquedismo. Quatro atletas se revezaram ao longo do dia em saltos. Houve lançamento de um foguete para marcar a cerimônia de abertura. Não faltaram demonstrações de aeromodelismo e até um drone percorreu a área, atraindo olhares e as crianças enfrentaram filas para usar uma luneta (feita de forma artesanal, a custo quase zero) para observar o céu.

Enquanto o Corpo de Bombeiros simulava um salvamento em pista, com resgate de vítimas e “apagando” um incêndio numa aeronave, o público também podia visitar os estandes montados para a feira.

No ar, destaque para a passagem de um jato de caça da Marinha, que fez voos rasantes por volta do meio-dia e a apresentação do helicóptero Águia da Polícia Militar.


No quesito música também não faltou atração com a apresentação da Banda Marcial da Polícia Militar, da   Força Aérea Brasileira (FAB) e até um coral especial – o Astropontes – marcou presença na hora em que houve descerramento do mais novo monumento da cidade.   Com tanto espetáculo no ar a presença de um tanque de guerra, chamou a atenção na terra. E houve até iguarias gastronômicas, ou seriam astronômicas, com o lançamento de um churro espacial, feito especialmente para homenagear Marcos Pontes e um lanche, o Planeta, que seria o preferido do homenageado.


A Bigelow

Bigelow Aerospace  é uma empresa destinada a voos espaciais e que quer montar estações privadas infláveis e mais econômicas. A empresa já lançou dois satélites protótipos, que funcionaram. E até 2020  essa empresa de Las Vegas espera realizar o sonho de desenvolver o primeiro hotel espacial. De hotelaria seu fundador entende. Robert Bigelow fez fortuna com uma cadeia de hotéis de baixo custo e diz estar disposto a gastar até US$ 500 milhões. Até agora, foram US$ 180 milhões. Um dos primeiros a acreditar nesse projeto teria sido Rubinho Barrichello. Se tudo der certo, ele será o segundo brasileiro a ir ao espaço.


JC na escola

Além dos pais que foram em massa levar seus filhos para conhecerem o mundo do espaço, também a Escola Estadual Pascoal Flamino, de Uru, da regional da Diretoria de Ensino de Lins, participou. Vieram mais de 40 alunos dos ensinos fundamental e médio para aproveitar o evento. Acompanhados de três professores sob a coordenação do professor Pierre Graves, os alunos participaram dentro do programa JC na Escola. Eles trouxeram cartazes como forma de homenagear o astronauta Marcos Pontes e a exemplo do que acontece em jogos de futebol, fizeram uma troca de camisas. Num momento especial Marcos Pontes recebeu a camisa da escola com autógrafos dos presentes e em troca deixou sua assinatura em outra que ficará exposta em local especial na escola.

“Foi muito importante, não apenas porque as crianças e jovens aprenderam muito, mas também pelo momento de tietagem. Todo mundo muito emocionado por estar tão próximo do homenageado. Uma disputa e tanto para a sessão especial de fotos com ele”, disse Sérgio Purini, coordenador do programa JC na escola.


“Uma data para agradecer”

Ao Jornal da Cidade, que também patrocinou o evento Marcos Pontes disse estar muito emocionado “até pus um macacão da mesma cor com que cheguei aqui há oito anos atrás, para lembrar o dia.  E contou aspectos de sua vida pessoal. Confira:

Premonição – “Em 2003 eu estava dando uma entrevista para o Gilberto Barros (hoje apresentador da Rede TV! e também bauruense). Estávamos num momento muito ruim para as missões espaciais. Nos EUA havia cancelamentos de missões após desastre (o do ônibus espacial Columbia), perdi sete amigos ali. No Brasil, também tivemos perda (em agosto o foguete de Alcântara, fez uma partida antecipada  e 21 homens morreram). O Gilberto me perguntou quando eu voaria e algo me disse, baixou uma premonição e eu respondi: ‘em 2006’”.

Definição – Isso é uma herança do meu pai que sempre me ensinou – ‘seja você mesmo. Onde estiver, com quem estiver’. Então me defino como um homem que sou eu mesmo.

Filhos – “O Fábio, 28 anos, é antropólogo. Bem diferente de mim, tenho visão na lua e ele pé no chão. A Ana Carolina também, aos 24 anos está estudando medicina. Eles sempre escolheram a carreira deles e eu nunca influenciei. ”.

O lugar preferido -  “Aqui mesmo e sempre que puder vou voltar, quero sempre estar neste local onde fizeram o monumento. É ali que meus sonhos começavam”.

Para onde viajaria hoje?  – “Vou voltar ao espaço. E não vai demorar muito. Sou também embaixador da ONU para desenvolvimento das pesquisas espaciais, palestrante, além de dirigir a Fundação Marcos Pontes tem também uma empresa de turismo. Viajar ao espaço é algo concreto. A estação Bigelow está aí”.

Desejo – “Fazer uma escola  voltada para o setor aeroespacial. E talvez enveredar pela política. Mas isso não é sonho, estão me empurrando para isso. Os convites são tantos que talvez seja inevitável”.

 

Fotos/Malavolta Jr.

O evento também contou com a participação do Exército Brasileiro