Bauru e grande região

Geral

Uma residência sobre quatro rodas

20/06/2014 - 07h00

O formando em design Denis Corrêa Vivan desenvolveu e executou um projeto de adaptação de uma picape Chevrolet Montana em um motor home funcional e confortável, repleto de soluções ergonômicas e de pleno aproveitamento do espaço. E, melhor, com baixo custo. 

 

A casa móvel foi criada para o trabalho de conclusão de curso no Instituto de Ensino Superior de Bauru (Iesb). Ela já roda pelas ruas da cidade e, logo, deve ganhar a estrada com Denis, aproveitando o fruto de sua inventividade e trabalho em aventuras a quatro rodas.

 

Entusiasta de viagens de carro aventureiras e longas, Denis Vivan revela que o plano de desenvolver um motor home já era antigo. A oportunidade ideal veio com o trabalho de conclusão de curso. “Eu sempre gostei deste tipo viagem e camping. Eu tenho uma Montana e coloquei uma capota alta. Eu já pensava em fazer a adaptação e, como tinha um projeto de conclusão de curso, peguei a parte de produto que eu já tinha aprendido e resolvi fazer”, comenta. 

 

O resultado é o que o próprio Denis define como um motor home funcional condensado, montado na caçamba da picape, com móveis e acessórios fixados sobre um piso também confeccionado pelo designer, que vai em cima do assoalho da carroceria. Um habitáculo mobiliado com cama dobrável que vira banco, pia, reservatórios e bomba de água, recursos elétricos, além de uma série de armários, balcões e gavetas. A casa móvel tem ainda instalação elétrica para equipamentos, iluminação, além de um ventilador. Todas as portas são corrediças para melhor aproveitamento do espaço.

 

Denis Vivan atenta a detalhes da adaptação de veículos, como espaço que o kit deve ocupar, peso e a escolha de materiais. Para todos estes quesitos, foram apresentadas soluções engenhosas. A começar pela capota de vibra de vidro, escolhida pelas vantagens de aproveitamento de espaço, isolamento térmico e acústico, preço, estética e baixa manutenção. 

 

“E o peso de todo o kit não chega à metade da capacidade de carga do veículo. Além disso, como não fiz nenhuma alteração na versão original, não é preciso nenhuma mudança na documentação, adequação às leis de trânsito brasileiras. Tudo isso entra como carga”, explica o dono da “casa ambulante”.

 

O designer lembra que o kit é totalmente removível. Caso não planeje utilizá-lo, basta tirá-lo para ter a caçamba do veículo inteiramente disponível para qualquer carga. Além disso, a instalação e desinstalação dos acessórios é extremamente prática. “Para prender e soltar o kit são apenas quatro parafusos. Coisa de 15 a 20 minutos dá para tirar tudo. E eu não parafusei nada na Montana, dá para tirar ele inteiro”, destaca. Denis acredita que o sistema que desenvolveu é inédito. “Já tem adaptação e outros tipos de motor home, mas eu nunca vi este esquema de poder tirar inteiro”, analisa.

 

Mãos à obra

 

Todo o projeto foi elaborado e executado por Denis. “Realizei a pesquisa, estudei bastante, fiz o desenho técnico e também a parte de corte, montagem, acabamento, laminação, sistema de distribuição de água, com torneira e pia”, relata. O designer revela que 70% do material utilizado na confecção do kit de adaptação é MDF (um tipo de madeira). 

 

Todo o processo de elaboração e construção durou aproximadamente quatro meses e custou cerca de R$ 1,5 mil. “Não estou computando aí o preço da capota. E também economizei com mão de obra, já que fiz todo o trabalho. Este é o preço do material”, aponta Vivan. 

 

A construção do kit foi efetuada no intervalo entre as aulas na faculdade e a jornada diária no trabalho. “Eu trabalhava no kit de manhã até às 10h e ia para o serviço. Às vezes, trabalhava mais um pouco no hora do almoço. E sempre nos finais de semana e quando eu não tinha aula à noite. Meu tempo livre era dedicado ao projeto”, lembra. Vivan teve apoio das Baterias Líder e da Dagra Impressão Digital para a viabilização do projeto.

 

Planos estradeiros

 

Se comercializar sua criação é um plano a ser estudado, usufruir dele é um intuito mais imediato. Aventureiro por natureza, Denis tem, no histórico, viagens pelo Brasil e América do Sul sobre quatro rodas. “Eu já fui para o Chile de Uno. Minha namorada e eu. Foram 12 mil quilômetros, dormíamos dentro do carro e durou um mês a viagem. Foi em janeiro de 2013. Já fui de carro também para a Chapada dos Guimarães (Mato Grosso), Chapada Diamantina (Bahia) e Chapada dos Veadeiros (Goiás). A gente gosta muito de viajar de carro, ir parando, conhecendo o caminho”, comenta.

 

Com seu motor home, Denis Vivan amplia as possibilidades e conforto em suas aventuras. “Esta extensão vai ajudar muito. É uma cozinha e um quarto. No ano que vem, estamos pensando em ir para o Uruguai”, projeta.

 

Possibilidade de comércio

 

Engenhoso, o kit de adaptação de Denis Vivan é prático, funcional e confortável. O designer estuda a possibilidade de, futuramente, comercializar sua invenção, mas esbarra no mercado incipiente brasileiro. “Preciso ver a aceitação. No Brasil ainda é meio fraco este negócio de motor home. Não sei se o pessoal acaba associando com um produto muito caro. Mas há poucas empresas que fazem motor home, mesmo motor home confortável. Você pega Estados Unidos e Austrália, por exemplo, tem muito disso”, compara o designer.