Bauru e grande região

Geral

Bauruenses falam sobre a 'dependência' do WhatsApp no trabalho

Um deles contou que já teve prejuízo financeiro nesta manhã de quinta-feira (17)

por Bruno Freitas

17/12/2015 - 10h40

Divulgação
Aline Umann, publicitária e ilustradora de Bauru: "Cadê cliente?"

O Brasil parou nesta quinta-feira (17). Parou de digitar, enviar fotos e mandar áudios via WhatsApp. Para alguns pode ser superficial e apenas mais um aplicativo de smartphone, mas para a maioria das pessoas foi um retrocesso no meio profissional com prejuízo financeiro. Alguns celulares já estavam apresentando o retorno do WhatsApp hoje pela manhã, mas não são todos.

Em entrevista ao JCNET, o distribuidor autônomo de água Nilson Reis, acostumado a receber cerca de 10 a 15 pedidos de clientes somente no período da manhã, disse que a ausência do aplicativo o deixou com um prejuízo de mais de R$ 130,00.

“Os clientes, por facilidade e economia com telefone, fazem pedidos pelo aplicativo. Eu confirmo rapidamente a entrega e entre 5 a 10 minutos o galão de água já está na casa do cliente. Até agora, sem o WhatsApp, não recebi nada”, disse Nilson.

Alerta de perigo

Especialistas de tecnologia afirmam que recorrer a outros aplicativos que prometem desbloquear o WhatsApp podem causar danos às informações pessoais inseridas nos smartphone. Como o VPN ( rede virtual privada ) e o Betternet, por exemplo. O Telegram é uma boa alternativa.

Aplicativo Whatsapp bloqueado por 48 horas no Brasil

O brasileiro já está sem WhatsApp desde o início da madrugada desta quinta-feira (17). O aplicativo foi "calado" após determinação judicial.

As empresas de telefonia móvel já cumprem a determinação solicitada por conta de uma investigação sobre “quebra de sigilo de dados”.

Aline Umann, publicitária e ilustradora

Divulgação
Gustavo Aleixo, corretor de imóveis

“Como trabalho de freelancer também, na maioria das vezes, recebo contatos de pessoas interessadas em saber sobre os valores dos trabalhos, se eu faço determinados serviços, prazo de entrega etc. Essas pessoas geralmente são indicações de conhecidos meus, logo, um dos únicos meios para contato acaba sendo o próprio WhatsApp. A ausência dele pode impactar, sim, no meu contato inicial com algumas pessoas, mas acredito que não seja tão expressiva a ponto de eu perder possíveis trabalhos, por conta de outros tipos de redes sociais, como Facebook, e-mail e telefone."

Gustavo Aleixo, corretor de imóveis

“Hoje o WhatsApp é uma peça fundamental para nós que trabalhamos na área de vendas. Tudo porque a comunicação se torna instantânea. No meu caso, como corretor de imóveis, me auxilia muito, por isso posso mandar fotos de uma casa ou apartamento para o cliente de uma maneira bem rápida e fácil. Acredito que sem essa ferramenta teria que agendar um horário para que o cliente pudesse estar junto para conhecer ao menos a localização e a 'fachada' do imóvel, por exemplo”.

Divulgação
Beto Alves, empresário

Beto Alves, empresário

“Como eu trabalho no seguimento de grandes eventos, posso te disser que a ausência do WhatsApp já está me atrapalhando muito. Hoje este aplicativo é uma ferramenta de trabalho importante para mim, porque além de agilizar minhas tarefas diárias, também uso como meio de divulgação para meus eventos. Cerca de 80% de meus clientes usam o aplicativo para tirar dúvidas ou para comprar convites das festas.

Carlos Barreto, auxiliar de escritório/departamento esportivo

Divulgação
Carlos Barreto, auxiliar de escritório

“O WhatsApp é a ferramenta de trabalho que mais utilizo. Posso ficar sem o Facebook, mas sem o WhatsApp não. Utilizamos grupos de diretores no clube onde eu trabalho para organizar todas as tarefas da semana. Como projetos e competições em andamento. Sem esse aplicativo, hoje, o que decidimos em poucos minutos, provavelmente durariam dias para reunir todo mundo”.

Milene Brum, cerimonialista

“Ficar sem o WhatsApp assusta. Uso praticamente o dia todo. O que mais prejudica com a sua ausência é o aumento nos gastos com ligações. Com ele consigo falar com vários clientes e fornecedores de outras operadoras sem ter prejuízo a mais por isso. E também tem a questão da agilidade. Consigo resolver tudo rápido. Nas semanas que antecedem um casamento conseguimos criar um grupo e alinhar todas as informações com os noivos e fornecedores”.

Divulgação
Milene Brum, cerimonialista

Felipe Posca - publicitário

“Atrapalha os negócios. Muitos dos nossos clientes fazem contato via aplicativo. Com o bloqueio temos de encontrar outra forma de contato rápido com eles, pois o aplicativo sem duvidas é um facilitador. Temos em média um contato de 15 a 20 clientes diariamente”.

Divulgação
Felipe Posca, publicitário