Bauru e grande região

Geral

Calendário traz vira-latas como "modelos"

O projeto é do grupo Formiguinhas Valentes e objetiva valorizar esses animais

04/10/2016 - 07h00

Divulgação
Bruce é um dos concorrentes

Cães e gatos sem raça definida se tornarão “celebridades” em um calendário que será lançado  em Bauru entre o final de novembro e início de dezembro deste ano. Em homenagem ao Dia Nacional de Adotar um Animal, celebrado nesta terça-feira (4), o grupo Formiguinhas Valentes divulga o projeto, que busca valorizar os chamados vira-latas, evitando, com isso, o abandono.

Cida Pinheiro é membro da entidade. Ela e outras seis mulheres passaram a se mobilizar pela causa animal e o que mais as desaponta é a falta de interesse em adotar um pet sem raça definida. “Quando algum animal de raça entra para doação, as pessoas brigam entre si, o que não ocorre com os vira-latas”, justifica.

A ativista animal explica que a campanha “Eu amo meu vira-lata” foi lançada na FanPage do grupo no último dia 25. Os proprietários de cães e gatos sem raça definida enviaram fotos de seus pets. Os 12 animais que tiverem mais curtidas até o dia 28 de outubro serão selecionados para o calendário.

Eles farão um book fotográfico e cada pet ilustrará um mês do ano. “No final, queremos juntar as fotos de todos os pets que participaram da campanha”, acrescenta. Cida revela que 120 animais disputam uma das 12 vagas para o calendário. Do total, 90 pets têm uma história de abandono e adoção, que será contada debaixo de cada imagem.

Esse é o caso de Bruce. “Ele foi atropelado e ficou quase um mês perambulando com a cabeça aberta. O bom é que ele foi resgatado das ruas, adotado e já está recuperado”, relata.

SERVIÇO

Quem quiser participar do projeto, ainda dá tempo de votar no vira-lata predileto. Para tanto, basta acessar a página Formiguinhas Valentes, no Facebook, até o dia 28 de outubro. O grupo também avisará quando os calendários estiverem prontos e a qual valor serão vendidos.

Toda a renda obtida será revertida à castração, à compra de medicamentos e ao pagamento de consultas para os animais carentes.