Bauru e grande região

Geral

Astronauta celebra hoje os 12 anos da Missão Centenário

Marcos Pontes comemora a data e planeja voltar ao espaço até 2020

por Marcele Tonelli

29/03/2018 - 07h00

Nasa/Reprodução
Pontes: "Nesta data, assopramos a velinha de 12 anos, mas, daqui a pouco, haverá nova missão"

"Muita gente acha que eu me aposentei depois da missão. Negativo! Continuo trabalhando na Nasa e no Brasil. E pretendo voltar ao espaço em breve". É com tom de expectativa e em comemoração aos 12 anos da Missão Centenário, celebrados hoje, que o astronauta bauruense Marcos César Pontes planeja seu retorno ao ambiente espacial, o que espera tornar realidade até 2020.

Ainda em comemoração à missão, a equipe de Pontes antecipa que, entre os dias 9 e 10 de junho, Bauru receberá mais uma edição do Arraiá Aéreo, evento que acontecerá no Aeroclube com parceria do Jornal da Cidade. E que terá a presença da Esquadrilha da Fumaça - mais informações serão divulgadas em breve.

MISSÃO

A Missão Centenário nasceu, em 2005, de um acordo entre a Agência Espacial Brasileira e a Agência Espacial da Federação Russa, com principal objetivo de enviar o primeiro brasileiro ao espaço.

O nome da missão é uma referência à comemoração do centenário do primeiro voo tripulado de uma aeronave, o 14 Bis de Santos Dumont, em 1906. Às 23h30 de 29 de março de 2006, Pontes partia do Cazaquistão para a Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave russa Soyuz TMA-8, com oito experimentos científicos brasileiros para execução em ambiente de microgravidade. Ele retornou no dia 8 de abril.

DESAFIOS

Samantha Ciuffa
Marcos Pontes planeja seu retorno espaço, o que espera que ocorra até 2020

Apesar de já ter traçado como meta, os desafios para Pontes retornar ao espaço desta vez, contudo, são diferentes. O contrato dele com a Agência Espacial Brasileira (AEB), assinado na época da Missão Centenário, venceu no ano passado e não foi renovado pelo governo brasileiro. Caso a próxima missão espacial ocorra nestas condições, ele viajará financiado por empresa americana, sem vínculos espaciais com o Brasil.

O que não quer dizer, por exemplo, que ele não representará os brasileiros. "Nesses 12 anos, muitas coisas aconteceram, boas e ruins. O Brasil passa por um grande problema, mas é importante a gente lembrar que não se deve desistir do nosso País", cita o astronauta. "Ajudar a inspirar novas gerações sempre foi e sempre será a essência do meu trabalho", completa Pontes, que hoje se divide entre suas casas em Houston (EUA) e em São Paulo.

JC Imagens
Jornal da Cidade, de 30 de março de 2006, trouxe ampla cobertura sobre o feito histórico

Para virar realidade, a próxima missão espacial, segundo a assessoria de comunicação de Pontes, dependerá da homologação de espaçonave norte-americana, o que era esperado para 2018, mas foi prorrogado para 2020. Atualmente, o trajeto até a ISS, que abrigou a Missão Centenário, é realizado apenas por nave russa.

Com a homologação da nave norte-americana, há expectativa do desenvolvimento do turismo espacial, ramo que o astronauta demonstra interesse. "Nesta data, assopramos a velinha de 12 anos, mas, daqui a pouco, haverá uma nova missão e começaremos tudo de novo", frisa Marcos Pontes.

NA ONU E NA POLÍTICA

Além de empresário e responsável pela Fundação Astronauta Marcos Pontes, o bauruense também desenvolve trabalho como embaixador da ONU na área de desenvolvimento industrial.

Há alguns anos, declarou interesse pela política, mas, atualmente, não integra nenhum partido. Recentemente, foi convidado por um pretendente à presidência a assumir o cargo de Ministro da Ciência e Tecnologia.