Bauru e grande região

Geral

Jovem de 17 anos morre com suspeita de dengue em Bauru

Universitário Nickolas Antonio Bartholomae da Silva é a 13ª pessoa que morre com suspeita da doença neste ano na cidade

por Tisa Moraes

04/03/2019 - 16h50

Facebook/Reprodução
Nickolas Antonio Bartholomae da Silva morreu no domingo à noite, em um hospital particular da cidade

Um adolescente de 17 anos morreu em decorrência de dengue hemorrágica em Bauru, conforme apontaram exames realizados a pedido da família. O caso, contudo, ainda é tratado como suspeito, já que a causa da morte só é oficialmente confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde após análise do Instituto Adolfo Lutz, que fica na Capital. A vítima, Nickolas Antonio Bartholomae da Silva, é a 13ª pessoa que morre com suspeita de dengue em Bauru neste ano. Além dos óbitos, a cidade já contabiliza 4.193 casos da doença.

Aceituno Jr.
Amigos prestaram homenagens durante o velório do jovem

Segundo parentes, o jovem não tinha problemas de saúde que pudessem ter contribuído para o agravamento do quadro. Nickolas morreu no domingo à noite, em um hospital particular da cidade, depois de sofrer três paradas cardíacas. A equipe médica tentou reanimá-lo por cerca de 40 minutos, sem sucesso.

Amigo de longa data da família, Antonio Carlos da Silva Barros conta que a piora do estado de saúde de Nickolas foi rápida. "Os primeiros sintomas surgiram na sexta-feira, quando ele teve febre, dor de cabeça e dor de estômago. Ele foi para o hospital, foi medicado e voltou para casa. No sábado, como os sintomas continuavam, ele voltou ao hospital e foi internado, já com suspeita de dengue. No domingo à tarde, começou a ter sangramento no nariz e foi para a UTI. A doença se manifestou de uma maneira muito agressiva", detalha. A hemorragia persistiu e Nickolas já estava inconsciente quando sofreu a primeira parada cardíaca, por volta das 20h. Mesmo com as manobras de reanimação cardiopulmonar, o jovem não resistiu.

"Ele tinha uma vida inteira pela frente. É difícil aceitar o que aconteceu. Ele perdeu a vida para um mosquito, por irresponsabilidade de quem não cuida do seu quintal", lamenta a esposa de Antonio e também amiga da família, Regina Célia dos Santos Nunes Barros.

Nickolas estava no primeiro ano do curso de direito da Universidade Paulista (Unip), depois de concluir o ensino médio na Etec Rodrigues de Abreu. Amigos que ele fez nas duas unidades de ensino, assim como na Ordem DeMolay, da qual fazia parte, prestaram homenagens no Centro Velatório Terra Branca, nessa segunda-feira (4).

Morador da Vila Souto, região da Vila Falcão, Nickolas era o caçula de três irmãos, filhos de uma professora e um bancário aposentado. O pai do adolescente também está com dengue. O corpo do estudante foi sepultado às 16h dessa segunda (4) no Cemitério Jardim do Ypê.