Bauru e grande região

Geral

Bauru tem 1.ª Cordelteca da região

Idealizado por Pedro Popoff, o local foi inaugurado ontem; o evento contou com a presença do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel

por Cinthia Milanez

28/04/2019 - 07h00

Malavolta Jr.
Cordelteca, na região central, conta com cerca de 2 mil cordéis

Com um acervo de aproximadamente 2 mil cordéis, a Cordelteca de Bauru é a 1.ª de toda a região e a 28.ª do País. O local, idealizado pelo bauruense Pedro Popoff, de 13 anos, foi inaugurado ontem e o evento contou com a presença do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), Gonçalo Ferreira da Silva.

De acordo com o adolescente, o sonho de ter um espaço onde pudesse abrigar a sua coleção pessoal, de cerca de 200 cordéis, foi realizado há dois anos. "Minha mãe emprestou uma sala vazia, ao lado do escritório em que trabalha. O espaço ficou muito pequeno e ela precisou mudar para a salinha e ceder o escritório a mim", descreve Pedro do Cordel.

Agora, a já intitulada Cordelteca fica no quintal do mesmo imóvel, situado na quadra 12 da rua Treze de Maio, na região central de Bauru. O intuito, segundo o garoto, é receber turmas de alunos e o público em geral. Tudo gratuitamente.

A Cordelteca abriga, também, cordéis sobre Física, Química, História, Matemática, eletricidade, água, entre outros. O local funcionará de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h.

Já a mãe do adolescente, Carla Motta afirma que Pedro pediu a sala em troca da festa de aniversário. Então, a família deu início à captação de recursos para viabilizar a Cordelteca. "Ele já apresentou o Projeto Cordel, no qual visita escolas para falar sobre o tema, para mais de 20 mil crianças. Este local, portanto, é resultado de todo o trabalho feito pelo meu filho", acrescenta, orgulhosa.

DEMOCRATIZAÇÃO

Presidente da ABLC, Gonçalo Ferreira da Silva informa que esta é a 28.ª Cordelteca do País. Ele explica que a função da instituição é levar a leitura a lugares de difícil acesso.

Ainda de acordo com Gonçalo, o cordel é bastante disseminado no Nordeste, por onde os portugueses entraram no Brasil. "A literatura de cordel, em nível de cultura primária, é nordestina, mas, em nível superior, é universal".

O líder da instituição exalta, também, que saiu da sede da ABLC, no Rio de Janeiro, só para participar do evento, em Bauru. A entidade doou, ainda, aproximadamente 800 cordéis à Cordelteca local.

SERVIÇO

A Cordelteca está localizada na rua Treze de Maio, 12-45, na região central de Bauru. O local funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h.

Já as turmas de alunos precisarão agendar a visita por meio do telefone (14) 99731-5676. 

Você sabia?

Literatura de cordel, folheto, literatura popular em verso ou, simplesmente, cordel é um gênero literário popular escrito na forma rimada, originado em relatos orais e, depois, impresso em folhetos. Ele teve início em Portugal e chegou ao Brasil, especificamente, ao Nordeste logo após a sua colonização. 

Fotos: Malavolta Jr.
Durante o evento, houve apresentação do idealizador da iniciativa, o bauruense Pedro Popoff

Malavolta Jr.
Presidente da ABLC, Gonçalo Ferreira da Silva revela que esta é a 28.ª Cordelteca do Brasil

Malavolta Jr.
Mãe de Pedro Popoff, Carla Motta afirma que o local ficará aberto de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h

Malavolta Jr.
Idealizador da Cordelteca, Pedro Popoff informa que a iniciativa conta com aproximadamente 2 mil cordéis

Malavolta Jr.
O evento também contou com a apresentação dos alunos da Apae de Arealva