Bauru e grande região

Geral

Entidades recebem R$ 56 mil

Afresp doou para a Casa da Esperança, de Bauru, e Casa Fraterno, de Pederneiras

por RAFAEL DE PAULA

13/08/2019 - 06h00

Fotos: Vinicius Bomfim

Casa da Esperança: Raphael Zancra, Anderson Oliveira, Luan Zacarias, Renato Fornazari, Martha Cesar, Luciana Grillo e Rodrigo

A Associação dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo (Afresp) fez a doação de R$ 56 mil para duas organizações de assistência social na tarde desta segunda-feira (12), em Bauru. Os valores são resultados de arrecadação que fiscais associados, da ativa e aposentados, fazem para a entidade ao longo do ano.

Em Bauru, o projeto escolhido foi a Casa da Esperança, no Núcleo Fortunato Rocha Lima, que recebeu R$ 44 mil. Já a Casa Fraterno Auxílio Cidadão, de Pederneiras (26 quilômetros de Bauru), ficou com um cheque no valor de R$ 12 mil.

O montante foi repassado em solenidade organizada na sede da associação. A Fundação da Afresp, a Fundafresp, foi a responsável por avaliar os editais com os pedidos das organizações e visitar as entidades antes da doação.

DOAÇÕES

Desde 1996, mais de 12 milhões foram repassados pela Fundafresp para 1,3 mil entidades de todo o Estado. "São projetos importantes que envolvem doação, carinho e amor. Ações como essa mostram para as pessoas que os fiscais não atuam somente em uma posição de cobrança dos impostos, mas como agentes que podem contribuir com boas ações na sociedade", explica Raphael Zancra, diretor regional da associação.

O deputado federal Rodrigo Agostinho (PSB) esteve presente na cerimônia de entrega dos cheques. "É um dinheiro importante para as entidades, principalmente para a manutenção da estrutura. Iniciativas como essa engrandecem", diz o parlamentar.

Berços

A Casa Fraterno Auxílio Cristão foi fundada em 1952 e atende 130 crianças de quatro meses a seis anos em Pederneiras. O projeto apresentado pela diretoria da creche pediu recursos para a troca de 16 berços que, há 40 anos, servem às crianças. "É a realização de um sonho, pois, há muito tempo, buscávamos trocar os berços das crianças", conta Márcia Sentinaro, coordenadora da organização.

Ler matéria completa