Bauru e grande região

Geral

O Carnaval perde José Carlos Zotino

Fundador da Imperatriz da Bela Vista, ele também trabalhou em afiliadas de emissoras de TV e em rádios AM

por JCNET

13/08/2019 - 11h36

Aceituno Jr./JC Imagens

José Carlos Zotino, com fantasias da Imperatriz da Grande Bauru

O Carnaval de Bauru perdeu um de seus expoentes. Vítima de um infarto fulminante, morreu, na madrugada desta terça-feira (13), José Carlos Zotino, aos 72 anos de idade. Atuante em diversas escolas de samba ao longo da vida, como a Imperatriz da Grande Bauru, da qual era presidente, ele também foi idealizador de vários trabalhos e eventos na cidade.

Zotino também trabalhou como diretor de marketing e comercial da afiliada da TV Globo em Bauru e gerente comercial da afiliada do SBT em Jaú. Por muitos carnavais, ele foi campeão com a escola de samba Imperatriz da Bela Vista, da qual foi fundador em 1980. Zotino foi candidato a prefeito em Bauru em 1982, pelo PTB, na época das sublegendas. Dudu Ranieri, Zotino e o advogado José Marques foram os candidatos do PTB.

Nascido em Campo Grande (MS), Zotino veio morar em Bauru ainda adolescente. Na cidade, constituiu família e sedimentou uma trajetória profissional vinculada ao jornalismo e às artes.

“Além de trabalhar em afiliadas da Globo e do SBT, ele também foi locutor e teve programas em rádios AM de Bauru. Foi, ainda, produtor de shows artísticos e criador do grupo infantil Doce Mel, que chegou a gravar dois LPs”, conta a filha Graciele Zotino, 43 anos.

Segundo ela, o pai se apaixonou pelo Carnaval quando desfilou da antiga escola de samba Camisa 10, época em que a festa ainda ocorria na avenida Nações Unidas. Ele chegou a integrar a diretoria da Camisa 10 e, após a experiência adquirida, resolveu criar uma agremiação para unir o Jardim Bela Vista: a Imperatriz.

‘PESSOA DO BEM’

Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a perda de Zotino e prestaram homenagens. Durante o velório, parentes também lembraram o homem amável que ele era, sempre defensor da conciliação.

“Era um homem maravilhoso, carinhoso com os filhos e os netos. Era uma pessoa do bem, muito querida por todos. Uma pessoa da paz”, acrescenta Graciele. Segundo a família, Zotino estava em casa, no Jardim Bela Vista, quando acordou de madrugada com dificuldade para respirar.

Embora ele e a esposa morassem a duas quadras de distância da UPA da Bela Vista, não houve tempo de buscar socorro. O Samu ainda foi acionado e realizou as manobras de reanimação cardíaca, mas Zotino não sobreviveu.

O corpo foi velado no Centro Velatório Terra Branca, no Centro de Bauru, e sepultado nesta terça-feira (13) no Cemitério da Saudade. Zotino deixa a esposa Adair (Du), a mãe Lúcia, os filhos Graciele, Glauber e Gleice, além de sete netos.

Ler matéria completa