Bauru e grande região

Geral

Aluno recria máquina em laboratório de Bauru

Com equipamentos adaptados, Alexandre Kurokawa produz leite em pó em pequena secadora por atomização feita durante TCC

por Rafael de Paula

18/09/2019 - 04h48

Vinicius Bomfim

Alexandre Kurokawa segura pote com leite em pó produzido pela máquina

O jovem Alexandre Kurokawa, de 26 anos, queria seguir pelo jornalismo quando criança. Cresceu e mudou de ideia. Viu que a engenharia e a química estavam mais ligadas aos seus desejos profissionais. Ingressou no curso de engenharia química e, neste ano, seu projeto de conclusão de curso, em Bauru, é um dos destaques entre os alunos da sala. Kurokawa reproduziu, em laboratório, uma pequena máquina, igual à utilizada pela grande indústria, para a fabricação de leite em pó e outros alimentos. O diferencial foram as adaptações para fazê-la funcionar. Tudo foi feito em um dos laboratórios da Unisagrado. 

"A maioria dessas peças do equipamento é industrial e tem preço muito elevado. Se fosse para comprar, ficaria inviável do ponto de vista financeiro. O jeito foi adaptar e deu certo", conta. Para baratear os custos, Alexandre utilizou, por exemplo, soprador de folha adaptado e bico de pistola de pintura. O equipamento foi construído em inox.

A expertise do aluno chamou a atenção da orientadora Ana Paulo Cerino. "A ideia de construção foi inteiramente do Alexandre. É uma experiência muito grande porque, como engenheiro, ele vai ter que projetar equipamentos e entender o funcionamento de máquinas. É um projeto que deu muito certo e chama a atenção das pessoas. É uma contribuição imensa para todos nós", reforça a professora.

ESFORÇO

O trabalho de montagem durou cerca de dois anos e demandou muito estudo e investimento. Todo o projeto custou cerca de R$ 7 mil e foi bancado pelo estudante com a ajuda da família. Alexandre quis fazer tudo sozinho, desde a concepção da máquina em uma escala menor até a montagem e a regulação do equipamento.

O aluno fez, inclusive, cursos fora da faculdade, na área de elétrica e mecânica, para poder reproduzir a máquina secadora. "Somente na parte de soldagem precisei de uma empresa que realizasse o serviço em aço inox. De resto, fiz sozinho com orientação de alguns professores", revela.

COMO FUNCIONA

A máquina reproduzida é conhecida no mercado como secador por atomização. Tem exatamente o mesmo conceito da indústria, mas em tamanho reduzido, de acordo com o estudante. O conceito do equipamento é fabricar pó seco a partir de um líquido. "O funcionamento da máquina é parecido com a secagem da roupa no varal. A roupa seca, lentamente, pela ação do vento. Para fazer leite em pó, por exemplo, o líquido é inserido junto com a pressão e seca rapidamente. O resultado disso é o pó", explica Alexandre.

Segundo ele, a câmara de secagem chega a atingir 160 graus pela força do ar quente que entra por um dos lados do tambor. O principal segredo da máquina é o atomizador, que foi adaptado pelo bico de pistola de pintura.

"Esse atomizador joga o leite na forma de spray, que são partículas menores desse alimento. Então, temos uma partícula de leite pequena e uma superfície muito quente. A secagem é instantânea", complementa o estudante.

Ler matéria completa