Bauru e grande região

Geral

Ciência extrapola sala de aula

150 alunos de escolas públicas estaduais participaram ontem da 3.ª Mostra Científica

por Rafael de Paula

10/10/2019 - 05h07

Malavolta Jr.

Gustavo Yachel, Matheus Telli, Matheus Manzatto, Gabriel Tsuyoshi e Leandro Amorim criaram a Sofia Mark 1 e 2

Meio ambiente, sustentabilidade e tecnologia foram alguns dos temas que envolveram a 3.ª Mostra Científica da Diretoria Regional de Ensino de Bauru. A feira reuniu mais de 150 alunos e foi realizada nesta quarta (9), na sede da diretoria, localizada na Vila Falcão. Sob a orientação de professores e diretores, os estudantes dos ensinos Fundamental e Médio de escolas públicas estaduais prepararam cerca de 50 experimentos com conceitos científicos. A ideia  é socializar o conhecimento entre os alunos de diferentes locais e níveis de ensino, além de praticar o que foi aprendido dentro da sala de aula.

"A feira tem o objetivo principal de promover o protagonismo dos alunos. O evento os desafia para a responsabilidade de programação, estruturação e organização de projetos. Além disso, proporciona o aprendizado científico, com realização de experimentos com os conceitos que eles aprendem na teoria e apresentam na prática", explica Silvia Helena Martins Fernandes, professora coordenadora do Núcleo Pedagógico da Diretoria de Ensino de Bauru.

AUTOMAÇÃO

O quinteto formado pelos alunos Matheus Manzatto, Matheus Telli, Gustavo Yachel, Gabriel Tsuyoshi e Leandro Amorim mostrou que aprendeu bem as aulas de tecnologia da Escola Estadual Eduardo Velho Filho, na Vila Vergueiro.

O grupo projetou, construiu e programou a Sophia Mark 1 e 2, dois protótipos com garras eletromecânicas que visam reduzir os impactos sociais. O alvo são as lesões por esforço repetitivo nas empresas e o auxílio na escrita para quem tem dificuldade. "O conceito dos dois equipamentos é a automação industrial. Um deles é capaz de levar um objeto de um ponto a outro, apenas por uma programação. Aqui, o objeto usado de exemplo é um doce. O nosso outro equipamento funciona com automação da escrita. Ele é capaz de escrever automaticamente de acordo com os comandos que são dados", explica Gabriel Tsuyoshi.

SUSTENTABILIDADE

Jhonatan Marcelino, Samuel Borges e Thiago Alexandre, alunos da escola Professor Henrique Rocha de Andrade, na Vila Nova Bauru, criaram uma casa sustentável. A ideia foi mostrar para o público como é possível poupar energia elétrica.

"Aqui, toda a energia é gerada pelo vento, energia solar, luz noturna e som", destaca Jhonatan Marcelino.

Entre os trabalhos, os visitantes também puderam ver jogos com a Tabela Periódica, simulador de placas tectônicas, cubo infinito, caça a microrganismos, usina eólica, refração da luz, centro de gravidade, entre outros. "Sabemos que a tecnologia faz parte de tudo o que vivemos. Queremos que eles se insiram, ainda mais, nesse meio", finaliza a coordenadora Silvia Helena Martins Fernandes. 

Ler matéria completa