Bauru e grande região

Geral

Poupatempo é alvo de críticas por insegurança e falta de itens

Funcionários dizem estar sem vigilância, café, ar-condicionado e até papel higiênico

por Cinthia Milanez

07/11/2019 - 06h00

Aceituno Jr.

Sindicato dos Servidores reforça queixas sobre o Poupatempo

Conhecido por facilitar o acesso da população a diversos serviços, o Poupatempo é alvo de reclamação por "dificultar" a vida dos próprios funcionários, em Bauru. Alguns trabalhadores alegam que estão sem segurança, café, copos, ar-condicionado e, até mesmo, papel higiênico. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região (Sinserm) reforça a denúncia e a assessoria de imprensa da Prodesp - responsável pela gestão do Poupatempo - reconhece, em nota, parte dos problemas. O órgão estadual, inclusive, notificou a empresa que administra o estabelecimento.

Conforme o JC apurou, a falta de manutenção se arrasta desde março de 2017, quando a direção do Poupatempo mudou. A atual empresa, segundo a denúncia, deixou de repor uniformes, copos, café e, vez ou outra, até papel higiênico. Há uma semana, o ar-condicionado quebrou, obrigando os funcionários a trabalharem em um ambiente com forte calor e elevada circulação de pessoas.

Ainda de acordo com a reclamação, o Poupatempo também não possui segurança durante o dia. Neste período, os trabalhadores afirmam que já flagraram pessoas se drogando dentro dos banheiros do local.

Advogado do Sinserm, José Francisco Martins se dirigiu ao espaço. Ele constatou que a empresa responsável pela vigilância saiu há um ano e, até agora, ninguém assumiu a função. "Os servidores se sentem inseguros, principalmente, quando há conflitos com usuários de drogas".

Em vista disso, José Francisco pretende oficiar a direção da atual gestora do Poupatempo, assim como os chefes de todas as secretarias municipais que atendem por lá.

PROVIDÊNCIAS

Em nota, a assessoria de comunicação da Prodesp alega que notificou a empresa responsável. Ela deverá promover melhorias, "a fim de corrigir falhas pontuais, inclusive, proceder, nesta semana, a troca dos uniformes dos colaboradores".

De acordo com o órgão, o posto instalou ventiladores como medida paliativa à quebra do ar-condicionado. A conclusão dos reparos do aparelho está prevista para o final da próxima semana.

Segundo a Prodesp, as equipes de fiscalização, que visitam os postos periodicamente, não identificaram a falta de papel higiênico. Mesmo assim, ficaram de fazer uma nova vistoria.

À vigilância contratada para as unidades do Poupatempo, cabe zelar pela segurança patrimonial do próprio. Então, a Prodesp decidiu acionar a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) para atuar junto às ocorrências reclamadas.

Por fim, a assessoria destaca que, conforme pesquisa de satisfação com os usuários do serviço, em Bauru, o seu índice de aprovação chegou a 100%.

Ler matéria completa