Bauru e grande região

Geral

Bauru terá centro de reabilitação para atender animais domésticos

Em fase de estruturação, projeto está sendo executado em parceria pela Prefeitura e Conselho de Proteção de Defesa Animal

por Ana Beatriz Garcia

12/02/2020 - 05h44

Malavolta Jr.

Antigo endereço da Cati, prédio na avenida Rodrigues Alves receberá o centro de reabilitação

Uma parceria entre a Prefeitura de Bauru, por meio da secretaria do Meio Ambiente (Semma), e o Conselho Municipal de Proteção de Defesa Animal (Comupda) pretende dar início, ainda este ano, a um centro de reabilitação para animais domésticos.

Um antigo prédio da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) na avenida Rodrigues Alves - que, atualmente, pertence à Semma por estar em área do Horto Florestal - será o endereço que receberá o projeto. O local recebeu vistoria no início deste mês, já que passará por algumas manutenções.

"Como ficou fechado por um tempo, o prédio precisa de reparos em relação à rede elétrica, ao mato alto e alguns pequenos consertos. Mas não apresenta danos muito graves na estrutura. Estamos em fase de orçamento para a reparação", explica o titular da Semma, Airton Iosimo Martinez.

Com a expectativa de ativar o centro de reabilitação ainda este ano, as equipes têm estudado outros modelos de trabalho semelhantes.

"Campinas já tem um trabalho parecido. Estamos estudando os documentos para saber como estruturar o gerenciamento. Dessa forma, ainda não temos prazos, mas queremos por em prática ainda este ano", diz.

SERVIÇOS

Em fase de estruturação, o projeto ainda está dividido entre as secretarias do Meio Ambiente e Obras, para garantir a infraestrutura e Comupda, que avalia como será a forma de atendimento no local.

"A população que levar o animal terá acesso a serviços de clínica, consultas, exames, castração, procedimentos diversos e até ortopédicos, que são necessários em casos de acidentes", explica Thais Viotto, presidente do Comupda.

O objetivo e de que o centro seja um local temporário para os animais.

"Caso seja necessário que fiquem mais, uma das ONGs ou dos protetores cadastrados ao Comupda ficará responsável pela triagem e tomar as medidas necessárias para que esse animal encontre uma família por meio da campanha de adoção permanente que teremos", diz.

Outro ponto do projeto é o serviço de emergência que realizará atendimento por meio do Samu Pet.

"Os atendimentos serão gratuitos. Então, vamos fazer um chamamento para credenciar um hospital ou clínica que possa fazer os serviços, tanto para o Samu Pet quanto da clínica", finaliza Viotto.

 

Ler matéria completa