Bauru e grande região

Geral

Várias disciplinas contra o coronavírus

Na terça-feira (3), o Colégio Rembrandt COC Bauru promoveu um 'aulão' para informar os estudantes sobre a doença

por Cinthia Milanez

04/03/2020 - 06h46

Malavolta Jr.

Professora de História Sônia Mozer explica que ideia consistiu em fornecer panorama geral aos alunos

Visando alertar sem causar qualquer tipo de pânico, o Colégio Rembrandt COC Bauru promoveu, na manhã de terça-feira (3), uma aula multidisciplinar sobre o coronavírus. Na ocasião, os professores de Matemática, Biologia, História e Geografia trouxeram informações relevantes a 400 estudantes. Cada turma, do 6.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental e do 1.º ao 3.º ano do Ensino Médio, recebeu orientações separadamente. A doença já infectou cerca de 90 mil pessoas ao redor do mundo, levando mais de 3 mil delas ao óbito. As escolas públicas do município também desenvolvem atividades voltadas ao tema (leia mais abaixo).

Professor de Empreendedorismo da Startup School, vinculada ao Colégio Rembrandt COC Bauru, William Bornia Jacob relata que o docente de Matemática trouxe gráficos para mostrar o crescimento exponencial dos casos da enfermidade.

Já o professor de Biologia, segundo ele, falou sobre o vírus, as caraterísticas, os sintomas e como se dá a transmissão. A de História, por sua vez, relembrou as outras pandemias que atingiram o mundo ao longo dos anos, como a Peste Negra e a Gripe Espanhola.

O responsável pela Geografia do colégio, por fim, tratou do deslocamento do coronavírus. Hoje, ele acontece em questão de dias.

Ainda de acordo com Jacob, as quatro disciplinas alertaram, juntas, sobre as fake news. "O objetivo é evitar qualquer tipo de pânico e a melhor arma para tanto corresponde ao conhecimento", acrescenta.

Professora de História do COC Bauru, Sônia Mozer explica que a ideia consistiu em fornecer um panorama geral aos alunos. "Então, mostrei duas pandemias, sendo que uma ocorreu na Idade Média (Peste Negra) e a outra, no século 20 (Gripe Espanhola)", destaca.

AS PANDEMIAS

No primeiro caso, a docente afirma que a doença, provocada por um bacilo, matou um terço da população mundial. "O desconhecimento do tratamento e a falta de higiene provocaram, juntos, tantos óbitos", justifica.

Além disso, a condição se alastrou de forma lenta, no mesmo ritmo das comunicações da época. "A doença chegou à Itália e, só dois anos depois, à Escandinávia", reforça.

Em relação à Gripe Espanhola, Mozer diz que matou cerca de 50 milhões de pessoas, quase o mesmo do que a Segunda Grande Guerra Mundial.

A enfermidade, causada por um vírus, não teve início na Espanha, como o nome sugere. "Em 1918, ela atingiu os soldados americanos que estavam sendo preparados para lutar na Primeira Grande Guerra Mundial", esclarece.

No entanto, imprensa e governo ficaram em silêncio. "Quando você se envolve em uma guerra, precisa esconder do inimigo que os seus soldados estão doentes. Mesmo com a saúde debilitada, eles foram para a Europa, onde começaram a contaminação", constata.

A Espanha, que era neutra neste conflito, acabou divulgando a notícia e, consequentemente, batizando a doença.

De acordo com a professora, a História mostra que as pandemias não são novidade. "Ao mesmo tempo, precisamos tranquilizar os estudantes, afinal, temos mais condições de combatê-las do que naquela época", compara.

O estudante do 1.º ano B do Ensino Médio do Colégio Rembrandt COC Bauru, Nicolas Cesar Cannone Ariedi, de 14 anos, aprovou a iniciativa. "Nós ficamos muito focados nas aulas convencionais, fato que nos deixa um pouco cansados. Hoje [ontem], saímos da rotina e, ao mesmo tempo, adquirimos conhecimento", finaliza.

Governo estadual mobiliza toda a rede de ensino

Desde segunda-feira (2), o governo estadual mobiliza as suas 182 escolas da região de Bauru, que contam com 94.694 alunos. Até esta sexta-feira (6), eles deverão participar de atividades voltadas à prevenção ao coronavírus.

Para tanto, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (Seduc) orienta as escolas a promoverem o Dia D, com palestras de especialistas, dicas de higiene e cuidados, entre outras informações destinadas a toda a comunidade escolar.

Por todo o Estado, as unidades escolares também abrigarão trabalhos pedagógicos.

A Seduc ficou de organizar uma videoconferência para as 91 Diretorias Regionais de Ensino (DREs). O intuito é capacitar os profissionais da rede. Eles receberão, ainda, instruções por meio de manuais e cartilhas, em ações alinhadas com a Secretaria de Saúde.

Além disso, os pais dos estudantes terão acesso a mensagens e e-mails com dicas de prevenção ao coronavírus.

Ler matéria completa