Bauru e grande região

Geral

FOB se prontifica a realizar testes

Governador anunciou parceria para rede de exames e faculdade busca credenciamento; Bauru está há 13 dias sem resultados

por Marcele Tonelli

24/03/2020 - 06h00

Divulgação

Laboratório da FOB/USP

A Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) se dispôs a realizar os exames laboratoriais sobre a Covid-19. A instituição passará por processo de habilitação junto ao Instituto Adolfo Lutz. A medida ocorre após anúncio do governador João Doria, nesta segunda-feira (23), sobre a criação de uma rede de testes para o coronavírus no Estado, com parceria da USP e Instituto Butantan, na tentativa de acelerar a emissão de resultados. Bauru, por exemplo, está há 13 dias sem confirmações ou descartes do Adolfo Lutz e os casos suspeitos da doença subiram para 57 no último balanço (leia mais na página 6).

Diretor da FOB/USP e coordenador do Laboratório de Farmacologia da instituição, o professor Carlos Ferreira dos Santos diz que o local possui plenas condições para realização dos exames e estrutura que conta com equipe técnica de quatro servidores e mais voluntários, que, inclusive, já se prontificaram a ajudar.

"Estamos na expectativa e queremos muito ajudar. Enviei toda documentação para a coordenação [da USP] em São Paulo e descrevi o parque de equipamentos que temos e a equipe. Precisaríamos de insumos, porque maquinários temos na FOB", afirma o diretor sobre a possibilidade de realização do exame "RT-PCR em tempo real", que aponta se a amostra é positiva ou negativa para carga viral.

A documentação é analisada pelo Instituto Adolfo Lutz, responsável pela habilitação, que é feita em etapas.

Ainda não é possível estimar quantos exames o laboratório da FOB conseguiria realizar, em razão do desconhecimento do protocolo preconizado pelo instituto. "Não sabemos se as amostras serão duplicadas, triplicadas ou quadruplicadas", cita Santos.

DEMORA E PRIORIDADES

Antes, a espera pelo resultado emitido pelo Adolfo Lutz era de 72 horas, mas aumentou para 15 dias em razão da alta demanda recebida de todo o Estado. O instituto diz que tem priorizado os exames visando diagnóstico do vírus SARS-CoV-2 de casos graves e óbitos.

O Adolfo Luz afirma também que eles devem ser solicitados ainda para unidades sentinelas e profissionais de saúde. "O teste diagnóstico não deve ser realizado em pessoas assintomáticas. A medida visa a otimização e uso racional dos testes, devido à situação pandêmica e a disponibilidade dos insumos em âmbito mundial", cita o instituto, em nota enviada pelo Estado.

"O teste não impacta no tratamento da pessoa, que é feito apenas do ponto de vista clínico, e o acompanhamento do cenário da Covid-19 também pode ser embasado no critério clínico-epidemiológico, assim como ocorre com outras doenças infecciosas", completa o Adolfo Lutz.

PEDIDO REFORÇADO

Com a rede de testes criada pelo governo do Estado junto à USP e ao Instituto Butantan, a capacidade deve ser dobrada, indo de 1 mil para de 2 mil exames.

O prefeito Clodoaldo Gazzetta acredita que, com a rede, a espera por resultados caia para até quatro dias. Ele também reforçou pedido junto ao Estado para que a unidade regional de Bauru do Adolfo Lutz passe a receber insumos para realizar os testes. "Eles possuem seis máquinas para detecção lá. Com mais essa ampliação, gostaríamos de tentar reduzir a espera pelos resultados de exames laboratoriais para um dia. Vamos insistir nessas medidas", pontua.

"Precisamos ter precaução frente aos números. A epidemia é esperada em Bauru, as pessoas não podem levar na brincadeira. Temos tentado conscientizar a população para frear a contaminação de muita gente ao mesmo tempo. Queremos evitar o caos no sistema de Saúde", finaliza Gazzetta.

 

Hospitais limitam acesso e montam estruturas para pacientes

Como forma de seguir o decreto municipal, que proibiu visitas, e para minimizar riscos da Covid-19, os hospitais Estadual, de Base e Maternidade, têm novo fluxo na rotina hospitalar.

Em alguns casos, os familiares receberão boletins diários por telefone nos horários das visitas. Nas UTIs do Base e do Estadual, os acompanhamentos estão restritos. Nas enfermarias, só serão permitidos acompanhantes para pacientes com 60 anos ou mais, menores de 18 anos e em caso de extrema necessidade. A internação do Estadual também segue garantias previstas em lei.

Na ala dos casos suspeitos e confirmados de Covid-19 destes hospitais, não entrarão acompanhantes e nem visitantes.

Já na Maternidade Santa Isabel, o acompanhante pode participar do parto, inclusive se a parturiente for paciente de Covid-19, mas há impedimento no acompanhamento se houver internação. Na UTI Neonatal e UCI Pediátrica, pai ou mãe podem ficar como acompanhante do bebê. E casos excepcionais serão avaliados individualmente.

PRIVADOS

Contra a Covid-19, o Hospital Unimed criou um setor de triagem exclusivo para casos suspeitos; quartos para internação isolados; UTI equipada; e disponibilização de equipamentos de proteção.

Na Beneficência Portuguesa, uma unidade exclusiva para pacientes de Covid-19 foi montada com aparelhagem médica e equipamentos de proteção.

Ler matéria completa