Bauru e grande região

Geral

Unidade do Lutz começará testes na semana que vem e FOB é credenciada

Início de exames na unidade de Bauru do Adolfo Lutz e habilitação da USP caminham para reduzir demora por resultados

por Marcele Tonelli

08/04/2020 - 05h49

FOB-USP/Divulgação

Carlos dos Santos, durante os testes na FOB no fim de semana; participaram também Thiago J. Dionísio e Thais Francini Garbieri

A cidade deu dois importantes passos, nesta terça-feira (7), para resolver a demora dos diagnósticos de coronavírus (Covid-19). A unidade de Bauru do Instituto Adolfo Lutz iniciará, na próxima semana, a realização de exames via rede pública, com a prioridade a casos graves, óbitos e trabalhadores da saúde sintomáticos. Outra boa notícia é que o Laboratório de Farmacologia da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP recebeu a informação sobre o seu credenciamento e, agora, aguarda publicação em Diário Oficial e o recebimento de insumos do Estado para também passar a detectar a doença.

O prefeito Clodoaldo Gazzetta disse, em anúncio na noite de ontem, que o laboratório local do Lutz começa a realizar exames para a Covid-19 a partir da próxima segunda-feira (13). "A Virgínia [Bodelão Richini Pereira, diretora da unidade de Bauru do Adolfo Lutz] me confirmou que, com a estrutura atual, eles conseguirão chegar a 500 exames semanais. Lembrando que o laboratório atenderá Bauru e outras 18 cidades", cita Gazzetta.

Os resultados do PCR em tempo real, exame laboratorial que detecta a Covid-19, levam até 72 horas para serem emitidos.

O prefeito ressalta que o município investiu cerca de R$ 85 mil em equipamentos específicos para o laboratório do Lutz, como câmara biológica e freezer, entre outros instrumentos, como forma de ampliar a capacidade da unidade. "Acreditamos que eles possam chegar a 1 mil exames semanais, mas é algo que deve acontecer quando os equipamentos mais importantes chegarem, no fim do mês, provavelmente", acrescenta Gazzetta.

CREDENCIAMENTO

Outro grande passo da rede local de detecção de coronavírus é o credenciamento junto ao Adolfo Lutz da Capital do Laboratório de Farmacologia da FOB/USP para realização de exames de detecção molecular da Covid-19. A FOB iniciou seu processo de habilitação na penúltima semana de março.

"É uma realização para nós, pesquisadores da USP, poder ajudar Bauru neste momento", comemora o professor Carlos Ferreira dos Santos, diretor da FOB/USP e coordenador do laboratório.

Ele explica que a unidade possui insumos para realizar 20 exames manuais de imediato (que serão definidos conforme prioridade elencada pelo poder público), mas aguarda o recebimento de kits, via rede de testes para o coronavírus no Estado, coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde junto à USP e Instituto Butantan, para iniciar, de fato, o serviço de diagnósticos. Ainda não se sabe a quantidade de insumos que será enviada à FOB/USP.

"Assim que houver a publicação em Diário Oficial, já podemos começar", ressalta Santos.

Com sua estrutura técnica atual e equipe com seis profissionais que atuam de segunda a sexta, a unidade terá capacidade de analisar até 96 amostras por dia, com uso de um robô.

"Mas, tudo dependerá da quantidade de insumos que receberemos", explica o professor. "Após o recebimento das amostras, conseguimos cravar o resultado em, no máximo, três dias. Eu mesmo assino o laudo, mas sempre temos uma comitiva de duas ou três pessoas que ajudam na análise final", detalha Santos.

ARRECADAÇÃO

Para conseguir atuar com sua capacidade total, ou seja, emitindo até 480 resultados semanais, a FOB/USP diz que necessitará de ajuda para adquirir insumos.

"Para tornar possível, abrimos a possibilidade de doações de qualquer quantia junto à nossa Fundação Bauruense de Estudos Odontológicos. A própria fundação fará a aquisição. São reagentes para as duas fases de diagnósticos, kits para extração do RNA do vírus, para realização do PCR em tempo real, além de tubos e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual)", explica o diretor da FOB/USP.

Nesta terça (7), um empresário de Bauru doou aproximadamente R$ 15 mil, o que deve ajudar o local a comprar cerca de 500 reações. Interessados em ajudar devem entre em contato pelo e-mail [email protected]

Ler matéria completa