Bauru e grande região

 
Geral

HE tem mais nove UTIs de Covid

Após readequação interna e habilitação do Ministério da Saúde, hospital opera, agora, com 38 leitos para casos mais graves

por Marcele Tonelli

29/05/2020 - 05h34

Quioshi Goto/JC Imagens

Em processo de esvaziamento, HE teve mais leitos de UTI convertidos para Covid-19

Referência regional no atendimento à Covid-19, o Hospital Estadual (HE) de Bauru aumentou de 29 para 38 o número de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) reservadas para a doença. O reforço de mais nove leitos públicos é resultado de nova readequação interna do próprio hospital e de habilitação feita pelo Ministério da Saúde em relação à manobra. A medida deve dar mais fôlego à taxa de ocupação das UTIs do HE, que tem variado em um média entre 60% e 90%.

Na prática, o número total de UTIs do HE não aumentou com as nove habilitações feitas pelo governo federal. O hospital continua com 50 leitos no total. Só que, agora, 38 são reservadas para a Covid-19 e outros 12 são divididos entre outras especialidades. Ou seja, a unidade ainda não foi contemplada com novos leitos e equipamentos (leia mais abaixo).

Conforme o JC noticiou, o HE, por ser referência contra o novo coronavírus, passa por processo de esvaziamento para concentrar os casos da doença. Outras especialidades, exceto oncologia e queimados, já foram transferidas para o Hospital de Base (HB). Nos últimos meses, o Estadual reduziu drasticamente o numero de cirurgias eletivas, priorizando apenas os procedimentos emergenciais.

"Não deixam de ser novos leitos, porque, agora, eles atenderão apenas a Covid-19. No caso do Estadual, o que saiu foi a unidade coronariana, que foi transferida para o Base, e os leitos foram convertidos", explica Doroti Vieira Alves Ferreira, diretora do Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6).

Nas últimas semanas, quando o número de UTIs para Covid-19 no HE ainda era de 29, a unidade chegou a bater a taxa de ocupação de casos graves em 100% por algumas horas, mas rearranjos internos aliviaram a situação.

Nesta quinta (28), a taxa de ocupação foi uma das mais baixas registradas no HE: 62%, ou seja, 18 leitos em uso. E o Estado ainda não havia contabilizado a ativação dos nove leitos a mais.

VALOR DIFERENCIADO

A habilitação das nove UTIs envolve o aumento do repasse da verba de custeio via SUS para a Famesp, gestora do HE. O Ministério da Saúde paga, por diária de leito de unidade de terapia intensiva comum, R$ 600,00. Porém, a UTI/Covid custa R$ 1,6 mil por dia.

Os nove habilitados, portanto, terão acréscimo no valor pago à fundação. A medida, contudo, é temporária. "A hora que a epidemia acabar, a unidade coronariana e as outras especialidades voltam para o Estadual e o valor do leito também voltará ao normal", reforça Doroti.

MAIS HABILITAÇÕES

A diretora cita que o DRS aguarda ainda a habilitação de outros 27 leitos novos ou dos que já são usados para Covid-19. 

"Com a epidemia, todos os hospitais precisaram se virar para separar leitos para atender a Covid-19, mas nem todos recebem por isso, porque os leitos não estão habilitados. É a primeira habilitação que sai para a regional, desde o início da epidemia", informa Doroti Ferreira.

Respiradores

A expectativa do DRS-6 é de que o governo do Estado envie 10 respiradores para Bauru na próxima semana, do carregamento de 333 equipamentos que chegou no dia 26 em São Paulo, oriundo da China e da Turquia. Apenas assim é que Bauru deve, de fato, ver seu número de UTIs crescer com novos leitos e equipamentos. 

Desde o início da epidemia, solicitações de respiradores foram feitas ao Ministério da Saúde, mas nenhum equipamento foi enviado. "Eles implantam de acordo com as necessidades. Hoje, a nossa região está tranquila. Não nos comparamos com Manaus, Amazonas e Pará. O ministério socorre utilizando o princípio do SUS, da equidade, de ajudar mais quem tem menos", observa Doroti Vieira Alves Ferreira.

Ler matéria completa