Bauru e grande região

 
Polícia

Interrupções de energia causadas por pipas triplicam na quarentena

Dados de Bauru e região mostram que foram 105 ocorrências entre abril e maio deste ano, contra 34 em 2019

27/06/2020 - 05h00

Mesmo com a quarentena imposta para reduzir o risco de contágio do novo coronavírus e todos os pedidos para que a população fique em casa, uma prática tem persistido. Popular entre todas as idades e culturas, a brincadeira de soltar pipas se torna um grande perigo com os acidentes que ocorrem nas proximidades das redes de energia elétrica. Segundo a CPFL Paulista, as interrupções de energia provocadas por pipas mais que triplicaram em Bauru e região durante o isolamento social.

Os dados são referentes a um levantamento realizado pela companhia entre abril e maio de 2020 - período da quarentena - em relação ao mesmo bimestre do ano passado. Neste dois últimos meses, a região de Bauru registrou 105 interrupções por pipas e 34 ocorrências no mesmo período de 2019.

A cidade com mais casos em 2020 é Bauru, que teve 35 registros neste ano contra nove em abril e maio de 2019, um aumento de quatro vezes. Depois, veio Botucatu e Jaú. A única na contramão é Bofete, que não registrou interrupção neste ano contra três em 2019 (confira no quadro).

E a região de Bauru segue a tendência da área de cobertura total da CPFL Paulista. Os dados apontam que foram 832 registros em todo o seu espaço de atuação nos dois meses deste ano contra apenas 283 em abril e maio de 2019.

ALERTA

Se os dados do último bimestre preocupam, junho traz um alerta ainda maior. É que os ventos propícios desse período costumam aumentar esses números.

"Atenta à segurança da população e à qualidade do fornecimento de energia para seus clientes, a CPFL Paulista, por meio da campanha Guardião da Vida, alerta para estes acidentes e ocorrências de falta de energia provocados pelas pipas", destaca a companhia, em nota.

DICAS

A CPFL ressalta ainda que os desligamentos e os acidentes podem ser evitados com alguns cuidados simples. É importante escolher um local longe da fiação elétrica, como campos abertos e parques, fugindo do entorno de rodovias ou das avenidas de intenso movimento, onde também podem ocorrer os atropelamentos.

"Não tente resgatar uma pipa enroscada na rede elétrica, pois, além de provocar desligamentos no fornecimento de energia, pode causar acidentes, com vítimas fatais. O ideal é soltar pipas longe da rede elétrica. Se acontecer de o brinquedo ficar preso em um fio, a melhor atitude é dá-lo como perdido", complementa.

Por fim, a companhia alerta que, no Estado de São Paulo, é crime usar o cerol ou a chamada "linha chilena". "Por conduzirem eletricidade, em contato com a rede elétrica, aumentam o risco de choques. Por conta do seu poder cortante, essas linhas podem romper os cabos da rede e provocar curtos-circuitos, além de colocar em risco a vida de ciclistas e motociclistas", conclui a empresa.

Ler matéria completa