Bauru e grande região

 
Geral

Garoto com leucemia recebe carreata

Amigos de Luiz Miguel, que está em casa desde setembro de 2019, fizeram homenagem para celebrar evolução no tratamento

por Tisa Moraes

05/07/2020 - 05h00

Bruno Nogueira/Reprodução

Luiz Miguel acena para amigos na homenagem

Com apenas 9 anos de vida, Luiz Miguel Sciulli Kudse Bronholi já pode se considerar um lutador. Se permanecer em casa durante a pandemia do novo coronavírus já é uma grande dificuldade para boa parte das pessoas, ficar isolado durante nove meses, sem interagir com amigos e familiares, é um desafio que poucos estariam emocionalmente preparados para enfrentar.

É desde setembro do ano passado, quando foi diagnosticado com leucemia, que Luiz Miguel trava esta árdua batalha para seguir vivo. E todo este esforço foi reconhecido no último domingo (28), quando seus colegas de escola, acompanhados dos pais, fizeram uma carreata em frente à sua casa, no Jardim Colonial, em Bauru (veja o vídeo no www.jcnet.com.br).

A iniciativa foi encabeçada pela mãe de um dos amigos, Silvia Aparecida dos Santos. Com carros enfeitados com bexigas e frases de incentivo escritas em cartazes, o grupo - formado por mais de 50 pessoas - comemorou a evolução do tratamento do menino, que continua sendo assistido no Hospital Amaral Carvalho, em Jaú.

Como forma de reconhecer o serviço prestado pela unidade, os amigos de Luiz Miguel decidiram, ainda, doar cerca de 70 kits de educação artística para serem entregues a outras crianças atendidas na instituição.

Mãe de Luiz Miguel, a assistente social Milena Sciulli Kudse, 49 anos, conta que o filho foi avisado com antecedência sobre a homenagem dos amigos, mas ficou surpreso com a quantidade de pessoas que se mobilizaram para lhe dar forças neste momento difícil. "No início, ele ficou tímido, talvez por vergonha da falta de cabelo, mas acabou sentando na varanda e acenou para os colegas, a distância. Depois, quando todos foram embora, ele disse que tinha sido emocionante e ficou lembrando o nome de cada um que tinha participado", comenta.

DESAFIO

Mesmo já apresentando bons resultados no tratamento, o garoto ainda toma três medicamentos por dia, além de receber quimioterapia injetável uma vez por semana. Devido ao efeito imunossupressor da terapia, os cuidados para que Luiz Miguel não contraia Covid-19 são redobrados, já que, em caso de infecção, as chances de ele desenvolver a forma grave da doença são maiores.

"Assim como a nossa família, muitas outras estão enfrentando desafios que vão muito além dos efeitos da pandemia. Meu filho não pode ir à escola ou encontrar-se com os amigos há nove meses. Este também é o tempo que eu e meu marido estamos isolados com ele, sem receber visita em casa, só saindo para fazer o que for extremamente necessário. Não é fácil", descreve Milena.

De acordo com ela, o filho relata ter saudade dos amigos e de sair para brincar, mas a paixão por filmes e videogames tem ajudado a ocupar o tempo em casa. "Ele também interage bastante com os amigos virtualmente, por videochamada. Felizmente, os recursos tecnológicos ajudam muito a passar por esta fase", observa.

Assista ao vídeo:

Ler matéria completa