Bauru e grande região

 
Geral

Projeto piloto irá rastrear quem teve contato com pacientes da Covid-19

Estado anunciou nesta quinta-feira que Bauru será uma das três cidades escolhidas para integrar esse novo mapeamento

por Tisa Moraes

10/07/2020 - 05h00

Governo do Estado de SP/Divulgação

Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, fez o anúncio do projeto piloto ontem

Bauru foi uma das três cidades paulistas escolhidas pelo governo do Estado para integrar um projeto piloto com o objetivo de rastrear e monitorar pessoas que tiveram contato, por mais de 15 minutos, com pacientes da Covid-19. O trabalho, que também será desenvolvido por Araraquara e São Bernardo do Campo, foi anunciado pela secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, e pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, durante coletiva realizada nesta quinta-feira (9) em São Paulo.

A proposta foi comentada pelo prefeito Clodoaldo Gazzetta e representantes da Secretaria Municipal de Saúde, em coletiva à imprensa ocorrida na mesma data em Bauru. Segundo o diretor da Divisão de Vigilância Epidemiológica da pasta, Ezequiel Santos, a ideia do projeto é identificar pessoas que tiveram, por mais de 15 minutos, contato a uma distância menor ou igual a dois metros com infectados pelo novo coronavírus ou com suspeitos que aguardam resultado.

O rastreamento será feito por meio de contato telefônico, em parceria com o Centro Paula Souza, e estas pessoas, denominadas contactantes, serão orientadas a permanecer em isolamento domiciliar, especialmente se forem sintomáticas. Até então, a recomendação era válida apenas para aqueles que vivem na mesma casa de pacientes com diagnóstico comprovado e que apresentam sintomas da doença.

"Primeiro, vamos ligar para estes casos positivos e suspeitos, até 48 horas depois de a confirmação ou suspeita ser notificada, e pedir para que eles nos informem o nome e telefone de nove pessoas com quem mantiveram contato nos últimos 14 dias. Então, ligaremos para estes contactantes, que serão entrevistados e receberão as recomendações de isolamento. Se eles relatarem que apresentam sintomas, serão orientados a procurar uma unidade de saúde para realização do exame", detalha.

ESTRATÉGIA

A parceria entre o município e o Estado foi firmada na última segunda-feira (6), mas, de acordo com informações da Vigilância Epidemiológica de Bauru, os protocolos para o início do rastreamento só serão conhecidos na próxima semana. Até agosto, a expectativa é de que mais 100 municípios adotem a mesma estratégia, considerada fundamental pelo Estado para romper o ciclo de contágio da doença, conter a pandemia e possibilitar a retomada consistente das atividades econômicas.

Ezequiel Santos explica que, atualmente, a Vigilância conta somente com dois agentes para fazer ligações e monitorar, a distancia, pacientes diagnosticados com a Covid-19 que estão fazendo tratamento em casa. Com a parceria do Estado, a expectativa é de que 20 estudantes de enfermagem do Centro Paula Souza reforcem este trabalho de "call center".

Todas as informações coletadas por eles abastecerão uma plataforma do governo do Estado, que também incluirá dados de bases como o e-SUS Vigilância, bem como relatórios do Instituto Adolfo Lutz e de unidades da rede privada de saúde. "Trata-se de uma plataforma criada a partir de um sistema inglês, com o objetivo de padronizar protocolos em todo o Estado. A proposta é que este monitoramento siga até o final da pandemia, para que seja possível minimizar os riscos de contágio e, assim, flexibilizar, o quanto antes, as atividades da cidade", destaca o prefeito Clodoaldo Gazzetta.

Ler matéria completa