Bauru e grande região

 
Geral

Banco de Leite Humano de Bauru registra aumento de 50% em doações na pandemia

Campanhas de incentivo à doação e maior permanência de puérperas em casa são apontadas como justificativas para o crescimento nos índices

por Ana Beatriz Garcia

06/08/2020 - 05h00

Malavolta Jr./JC Imagens

Maria Nereida Panichi, coordenadora do Banco de Leite Materno de Bauru, fala sobre aumento de doações durante pandemia

Constantemente, é reforçada a importância do aleitamento materno para a saúde da mulher e do bebê, por conta de inúmeros benefícios que perpassam o período de duração da amamentação. Desde que a pandemia ganhou força no Brasil, o incentivo à prática ficou ainda mais relevante, já que o leite humano também ajuda a criança a desenvolver seu sistema imunológico.

Com campanhas de incentivo à doação e maior permanência de puérperas em casa, o Banco de Leite Humano de Bauru registrou, de março até o momento, um aumento de 50% em volume de doações, segundo a coordenadora do banco, Maria Nereida Panichi. "Na Capital, houve queda quando a pandemia chegou. Prevendo isso, nos adiantamos criando uma campanha para incentivar a doação, neste momento de quarentena, já que os bebês não parariam de nascer", afirma.

A coordenadora, ainda, conta que a primeira campanha, realizada em março, teve ótima resposta no município. "Em janeiro, tínhamos 51 mil litros e houve queda em fevereiro. A partir de março, tivemos 84 mil litros, chegando a 93 mil em maio e 98 mil em junho", diz. "No Dia Nacional de Doação de Leite Humano, houve uma campanha de toda rede. O que causou um aumento em 30% as doações em todo o Brasil", completa.

Além das ações pró-aleitamento, a coordenadora do Banco de Leite destaca outro ponto relevante para este índice. "Por conta do isolamento social, muitas mulheres não tiveram de voltar ao trabalho ou ficaram em home office. Ou seja, mais tempo com seus bebês e mais próximas. Somado à conscientização, estes fatores podem ter auxiliado na decisão para doação", diz Maria Nereida, salientando que a demanda permaneceu semelhante a dos meses anteriores.

IMPORTÂNCIA

O leite doado é oferecido aos bebês prematuros e doentes que estão internados ou impossibilitados de mamar em suas mães. Nestes casos, a doação é necessária pois o leite materno tem todos os nutrientes para alimentar e hidratar as crianças, principalmente nos primeiros seis meses de vida.

Vale destacar que o Brasil apresenta uma alta taxa de prematuridade, cerca de 11,5%, o que representa uma média de 330 mil nascimentos ao ano, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Considerando que muitas mães destes recém-nascidos apresentam dificuldade em estabelecer precocemente o vínculo da amamentação, é imprescindível que tenham acesso ao leite materno doado e processado pelos Bancos de Leite Humano.

CUIDADOS

Maria Nereida ainda salienta que todos os cuidados higiênicos têm sido tomados, inclusive, com o uso de máscara - antes, ainda, da obrigatoriedade - para garantir às doadoras maior conforto e segurança. "Nós não estamos indo à casa das doadoras para evitar, ao máximo, o contato. Lembrando que, mães com Covid-19 ou suspeita da doença, ainda assim, são orientadas a amamentar normalmente suas crianças, com as devidas precauções, desde que esteja apta", destaca. "É essencial que lavem as mãos antes de tocar o bebê e usem uma máscara facial, enquanto estiverem amamentando", conclui.

Ler matéria completa