Bauru e grande região

 
Geral

Dia dos Pais: Sincomércio pede abertura maior sexta e sábado

Requerimento foi protocolado ontem; prefeito afirma que irá analisar as demandas

por Vitor Oshiro e Tisa Moraes

06/08/2020 - 05h00

Vinicius Bomfim/JC Imagens

Sindicato quer horário maior a lojas do Calçadão e dos shoppings

Diante da proximidade do Dia dos Pais e do aumento do fluxo de consumidores, o Sincomércio protocolou, nesta quarta-feira (5), um requerimento pedindo que a Prefeitura de Bauru amplie o horário de atendimento do comércio de rua e dos shoppings nesta sexta (7) e sábado (8).

A entidade pede que, neste dois dias, as lojas do comércio de rua abram das 8h às 18h. Já os centros de compras ficariam com o horário de funcionamento estendido das 10h às 22h.

Além do aumento do expediente, a entidade pede: desinfecção e limpeza do Calçadão e ruas adjacentes e, também, das praças Machado de Melo e Rui Barbosa; manutenção e abertura do banheiro público da Praça Rui Barbosa, único equipamento do tipo existente na área central; execução de campanha educativa para os cuidados básicos de saúde na área pública, com especial atenção para o uso de máscaras fora das lojas; e requisição de ônibus circulares adicionais para atender à demanda projetada. "As solicitações atendem ao bom senso e esperamos que sejam atendidas pela prefeitura", completa o Sincomércio, em nota.

A entidade afirma ainda que colocará, mais uma vez, duas orientadoras no Calçadão para conscientizar a população quanto ao uso de máscaras e higienização das mãos. "Serão entregues máscaras às pessoas que não estiverem usando naquele momento, bem como folhetos com orientações sobre os cuidados para prevenção ao Codiv-19", complementa o Sincomércio.

OUTRO LADO

Na noite desta quarta, Clodoaldo Gazzetta disse que avaliará as demandas, mas adianta que a cidade passa por um contexto difícil atualmente.

"Em relação à ampliação do horário, é preciso entender que Bauru está em um momento bem delicado. O número de óbitos e casos aumentou bastante nos últimos dias (leia mais na página 5) e qualquer mudança no funcionamento do comércio terá de passar por análise muito criteriosa dos comitês municipais de Saúde e de Crise. A mesma avaliação será feita em relação aos demais pedidos do Sincomércio", conclui o prefeito.

Ler matéria completa