Bauru e grande região

 
Geral

Novo decreto poderá permitir retorno gradual de buffets na próxima semana

Se Bauru permanecer na fase amarela do Plano SP, prefeitura promete publicar regramento para o setor na sexta-feira (21)

por Marcele Tonelli

15/08/2020 - 05h00

Ricardo Missão/Divulgação

Clodoaldo Gazzetta, Letícia Kirchner, Markinho Souza e Yasmim Nascimento em reunião virtual com empresários do segmento

Há possibilidades do retorno do funcionamento dos buffets a partir da próxima semana em Bauru. A informação é da Prefeitura Municipal, que ainda publicará um decreto permitindo, de fato, a liberação da atividade. A única ressalva é que esta retomada só ocorrerá se o município permanecer na fase amarela do Plano São Paulo. A reavaliação oficial do Estado sobre a cidade será na próxima sexta-feira (21).

"Se Bauru continuar na amarela, publicaremos o decreto também na sexta [dia 21] para dar um alento a este setor", afirma o prefeito Clodoaldo Gazzetta. "A liberação deve contemplar eventos como reuniões sociais, almoço de empresas e pequenas cerimônias de casamento. As festas ainda não", acrescenta.

PERÍODO

Em reunião virtual, nesta sexta (14), o prefeito e a secretária de Planejamento, Letícia Kirchner, conversaram com cerca de 80 profissionais ligados ao entretenimento e segmento de buffets de Bauru. Eles definiram que, inicialmente, o retorno será gradual e as regras a serem seguidas, tanto sanitárias quanto de horário de funcionamento, devem ser parecidas com as já aplicadas aos bares e restaurantes.

Hoje, os bares, restaurantes e congêneres podem optar por dividir as seis horas de funcionamento diário em dois períodos: das 11h30 às 14h30 e das 19h às 22h. Para tanto, devem respeitar o limite de 40% da capacidade de público durante o dia e 20% à noite.

Há ainda a possibilidade de abrir das 10h às 16h, com 40% da capacidade de assentos, ou, das 18h às 23h, com 20% da capacidade.

O decreto municipal, contudo, é que trará melhor todas as definições ao setor.

COMO SERÁ

Na conversa, também ficou acertado que haverá proibição de qualquer tipo de situação que possa gerar aglomerações nesses locais, como pistas de dança e entretenimento. Não deve ser permitido ainda o consumo em pé e a circulação de pessoas sem o uso da máscara.

A autorização, inclusive, deve ser concedida somente para buffets com estabelecimentos físicos e passivos de serem fiscalizados. Serviços em locais itinerantes ainda não foram contemplados. Também não devem ter permissão, nesta primeira etapa da retomada, os buffets infantis. "O controle de crianças é mais complicado. Esse segmento, talvez, deva seguir o mesmo que tem sido aplicado às escolas", conclui Gazzetta.

 

Ler matéria completa