Bauru e grande região

 
Geral

Escova-de-garrafa vira árvore 'queridinha' dos bauruenses

Popularização de uma mesma espécie, contudo, preocupa os especialistas

por Larissa Bastos

21/11/2020 - 05h00

Fotos: Aceituno Jr.

Escova-de-garrafa na rua Henrique Natanael Carrijo Coube com a avenida Nossa Senhora de Fátima, Altos da Cidade

Nos últimos cinco anos, aumentou a quantidade de árvores da espécie escova-de-garrafa plantadas em Bauru. De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente (Semma), ela tem sido a primeira opção dos bauruenses que solicitam a substituição de árvores. Porém, o plantio frequente de uma mesma espécie preocupa especialistas, pois facilita a ação de pragas, justamente pela falta de diversidade.

No município, quando uma árvore é suprimida, outra deve ser plantada. Somente neste ano, a Semma já autorizou a substituição de 333 árvores. Segundo a própria secretaria, a maioria dos pedidos de corte é para a espécie chapéu-de-sol, mais comum na região do Jardim Bela Vista e da Vila Falcão. Já para o plantio, existem diversas espécies indicadas, como o siraricito, ipê branco, flamboyant mirim, cerejeira e a própria escova-de-garrafa.

Esta última é caracterizada pelas flores vermelhas que se assemelham àquelas escovas feitas para lavar o interior de garrafas e mamadeiras, daí veio o seu nome popular. Além da beleza, a planta se tornou a favorita para as substituições por ser de pequeno porte - varia entre 3 e 7 metros de altura - e de fácil manutenção.

Antes dela, as mais comuns eram as murtas e as resedás. "Só que, para estimular a diversidade de espécies e evitar a proliferação de patógenos, elas deixaram de ser indicadas em 2015", explica a engenheira agrônoma Gabriela dos Santos Souza, que integra a equipe da Semma.

PAPEL AMBIENTAL

Por outro lado, segundo a especialista, a escova-de-garrafa é pequena e não exerce o mesmo papel ambiental que uma chapéu-de-sol, por exemplo, que é grande e produz amplas sombras. "Quando uma substituição é aprovada, nós avaliamos se há estrutura no local para uma árvore maior. Verificamos o espaço na calçada e a altura dos fios de energia. Porém, muitas vezes, cabem apenas espécies menores. De qualquer forma, ajuda a manter a arborização urbana", avalia Gabriela Souza.

Inclusive, a chapéu-de-sol lidera os pedidos de supressão no município. "Ela tem uma estrutura grande, o tronco é largo e acaba ocupando muito espaço do passeio público, que, geralmente, é estreito para elas. A estrutura da cidade não consegue comportá-la. Essa espécie também produz um fruto que atrai morcegos, o que assusta muitos moradores, que acabam pedindo o corte", complementa a engenheira agrônoma, ressaltando que a espécie é encontrada com mais frequência na região do Jardim Bela Vista.

SERVIÇO

A solicitação de substituição de árvores em espaço público ou particular deve ser feita no Posto da Semma no Poupatempo, localizado na avenida Nações Unidas, 4-44, Centro. Os telefones da Secretaria do Meio Ambiente são (14) 3239-2766, 3234-6849 e 3223-3928. A lista com todas as espécies indicadas está disponível no site da Prefeitura de Bauru (www.bauru.sp.gov.br).

E, conforme o JC noticiou, a partir da próxima segunda (23), a prefeitura, através da Semma, disponibiliza a informatização da Solicitação de Substituição de Árvores. O sistema, desenvolvido pela Seção de Tecnologia da Informação da prefeitura, foi criado para permitir maior rapidez, economia e transparência ao processo. Para usá-lo, basta acessar o site da prefeitura (http://www.bauru.sp.gob.br), na aba "Cidadão", ou entrar no link documentos eletrônicos ou https://www.bauru.sp.gov.br/sist_documentos/cadastrar.aspx, e selecionar Solicitação de Substituição de Árvores, entrando no campo Modelo.

Ler matéria completa