Bauru e grande região

Geral

Bauru tem os primeiros imunizados e vacinação segue para 'linha de frente'

Auxiliar de enfermagem de 66 anos recebeu primeira dose; imunização segue em profissionais da saúde ligados à pandemia

por Marcele Tonelli

21/01/2021 - 05h00

Malavolta Jr.

José Luiz Costa Magalhães comemora ao receber a primeira dose da vacina pelas mãos da enfermeira Rosemeire Serigato

Em uma noite cercada de emoção e expectativas, após a chegada do primeiro lote das vacinas em Bauru ainda na tarde desta quarta-feira (20), a prefeitura imunizou os seus primeiros munícipes. A cerimônia simbólica ocorreu na sede da Associação Paulista de Medicina (APM) e o primeiro vacinado foi José Luiz Magalhães, auxiliar de enfermagem, de 66 anos, que enfrentou a forma grave da doença no ano passado.

A imunização no município segue hoje, mas de forma interna nos hospitais, pronto atendimentos e laboratórios que lidam com a Covid-19, pois apenas profissionais da "linha de frente direta" serão vacinados neste momento. A prefeitura reforça, portanto, que a população ainda não deve procurar as unidades de saúde para tomar o imunizante.

Emocionado por ter sido escolhido em meio aos colegas que atuam na UPA do Mary Dota, seo José, que deu até uma sambadinha antes da vacina, conta que passou um filme em sua cabeça enquanto sentia a agulha espetar seu braço. "Deus me abençoou duas vezes, uma por ter vencido a Covid-19 depois de ficar dias intubado e, agora, por poder fortalecer minha resistência", conta. "Não deixem de se vacinar e, mesmo depois, continuem tomando os cuidados, essa doença é perigosa demais", alerta.

Por enquanto, apenas 8.680 unidades da CoronaVac chegaram a Bauru. A expectativa é de receber novos lotes nas próximas semanas, garantindo não só a expansão para o restante dos grupos prioritários, mas também a segunda dose a quem já tomou a primeira.

A prefeita Suéllen Rosim chamou de "grata surpresa" a antecipação da distribuição, que era esperada para esta quinta (21). "É uma gota de esperança, temos um caminho longo até alcançarmos os 75 mil imunizados, mas é o início de uma primeira etapa e que nos traz um pouco mais de segurança, que nos mostra uma luz no fim do túnel", afirma a prefeita.

A vacinação, conforme a prefeitura informou anteriormente, teria início apenas na segunda (25), mas Suéllen diz que foi possível agilizar os processos e protocolos junto à Saúde para que a imunização começasse já.

17 MIL PROFISSIONAIS

Bauru possui um total de 17 mil profissionais de Saúde, contabilizando hospitais, clínicas, entre outros. Assim, as 8,6 mil doses devem garantir a imunização de apenas parte disso.

"Com certeza, essas doses irão imunizar nossa 'linha de frente', que é formada por pessoas que, hoje, arriscam a vida para cuidar de outras em unidades de saúde e hospitais. São áreas, inclusive, em que é difícil conseguir profissional para contratar", comenta o secretário de Saúde, Orlando Costa Dias.

Também participaram do ato ontem o deputado federal Rodrigo Agostinho e o vereador Markinho Souza.

IMUNIZAÇÃO INTERNA

As doses serão liberadas mediante capacitação, que será realizada nesta quinta (21) e sexta (22), na Secretaria Municipal de Saúde. Profissionais que atuam em UTIs, enfermarias e prontos -socorros que atendem Covid-19 serão imunizados. Alguns também serão capacitados para vacinar suas equipes internas.

Primeiramente, receberão as capacitações e as doses as UPAs do Ipiranga, Geisel, Mary Dota e Bela Vista, o Posto Avançado Covid-19 (que fica no Pronto-Socorro Central) e as unidades sentinelas, que são os postos de saúde na Vila Falcão, Geisel e Mary Dota. Além disso, também serão contemplados o Hospital Estadual, o Hospital das Clínicas da USP (hospital de campanha), o Hospital da Unimed, o Hospital Beneficência Portuguesa e o Hospital São Francisco.

"O Hospital de Base e a Maternidade [Santa Isabel], por exemplo, talvez não recebam neste momento, mas também terão a imunização logo", comenta Ezequiel Santos, diretor da Divisão de Vigilância epidemiológica.

Também devem receber a capacitação e imunização, nesta quinta (21), as equipes que realizam exames de Covid-19 nos laboratórios do Instituto Adolfo Lutz em Bauru, da FOB/USP e do Instituto Lauro de Souza Lima. "São equipes que estão atuando diretamente com o vírus", detalha Ezequiel.

Estão inclusos ainda 800 servidores que atuarão diretamente na campanha de vacinação. "Essa etapa da campanha é mais fechada, a população ainda não vai ver equipes da prefeitura se deslocando", conclui.

Na sequência, pessoas acima de 60 anos e que são institucionalizadas, ou seja, que estão em casas de repouso, serão vacinadas, um público estimado em de 1,5 mil habitantes. A vacinação também deve incluir pessoas com deficiência em residências inclusivas.

Posteriormente, com a chegada de mais imunizantes, outros grupos, como dos idosos, indígenas, quilombolas serão imunizados, além do restante dos 17 mil profissionais da saúde.

Enfermeira e médico recebem a vacina

Malavolta Jr.

O médico Renan Montanher recebe a dose da CoronaVac da enfermeira Natalia Paes

Além de José Magalhães, outros dois profissionais da Saúde e que também atuam na rede pública foram imunizados nesta quarta-feira (20), na cerimônia de chegada das vacinas.

Natalina Puliesi, 43, enfermeira-chefe da Unidade Básica de Saúde da Vila Falcão, referência para Covid-19, conta que seu maior medo em 10 meses de pandemia era transmitir a doença para seus três filhos. "Agora, vou conseguir dormir com um pouco mais de paz", diz, em tom de alívio. 

Já o primeiro médico de Bauru imunizado é Renan Montanher, que atua na UBS Geisel e na Equipe Multidisciplinar de Assistência Domiciliar da prefeitura. "Desde maio, não entro na casa dos meus pais. Sei que ainda não posso e que as medidas de proteção devem continuar, mas ser vacinado me trouxe mais esperanças", cita.

HE lotado

Em meio à esperança trazida pelo início da vacinação, o boletim epidemiológico emitido ontem não trouxe novos casos de Covid-19, mantendo Bauru com 23.314 registros. O informe também não notificou mais óbitos, seguindo com as 322 vítimas fatais.

Contudo, a notícia preocupante segue sendo a ocupação hospitalar. Todas as 50 UTIs Covid do Hospital Estadual (HE) estavam lotadas ontem.

A região também atinge um dos índices mais altos dos últimos tempos: 96% de lotação.

Ler matéria completa