Bauru e grande região

Geral

Na véspera de reclassificação, comitiva de prefeitos vai a SP discutir mais leitos

Alta ocupação hospitalar na região preocupa e é apontada como principal fator para uma possível regressão à fase vermelha

por Vitor Oshiro

22/01/2021 - 05h00

Prefeitura de Botucatu/Divulgação

Suéllen Rosim e os prefeitos de Lençóis Paulista (Anderson Prado), Botucatu (Mário Pardini), Jaú (Ivan Cassaro), São Manuel (Ricardo Salaro) e Lins (João Pandolfi) se reuniram ontem com o secretário Marco Vinholi; o deputado federal Rodrigo Agostinho acompanhou o encontro na Capital

Nesta quinta-feira (21), uma comitiva formada pela prefeita Suéllen Rosim e chefes do Executivo de outras cinco cidades vizinhas se reuniram na Capital com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para discutir a ampliação da estrutura hospitalar do Departamento Regional de Saúde-6 (DRS-6). A alta taxa de ocupação de UTIs Covid é o principal fator que pode levar Bauru e região para a fase vermelha - a mais restritiva de todas -, em reclassificação do Plano São Paulo, que será anunciada nesta sexta-feira (22).

Desse modo, com uma possível habilitação de novas vagas, os índices de lotação seriam recalculados e haveria a possibilidade de manutenção na fase laranja.

A pasta de Vinholi está monitorando a situação dos leitos hospitalares diretamente nos últimos dias. Em parceria com o Centro de Contingenciamento do Coronavírus, identificou 58 municípios que apresentaram, na média móvel dos últimos sete dias, capacidade hospitalar acima de 80% de ocupação para pacientes graves. O levantamento foi elaborado com informações e dados da última quarta (20).

Bauru é uma das cidades que preocupam. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Regional, a média móvel de ocupação hospitalar bauruense em UTIs é de 90,69%. Ainda no DRS-6, outras cidades da região integram a lista: Jaú (90,5%), Promissão (100%), São Manuel (97,2%) e Avaré (91,4%). Os dados atualizados ontem também colocaram Botucatu nesta relação de alerta.

'RESTRIÇÃO TOTAL'

Na última sexta-feira (15), durante coletiva de imprensa, o secretário Marco Vinholi já havia alertado cidades que estavam com a capacidade hospitalar de leitos de UTI para Covid-19 acima dos 80% e que deveriam endurecer as medidas para contenção do vírus, inclusive com "restrição total de atividades não essenciais".

"Desde a última reclassificação do Plano São Paulo, estamos alertando os municípios sobre alta na taxa de ocupação hospitalar. Recomendamos que as prefeituras determinem a restrição total de atividades não essenciais para aliviar a pressão sobre hospitais públicos e particulares", alertou Vinholi, fazendo a ressalva de que o atendimento tem sido completo por meio do sistema da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), da Secretaria de Estado de Saúde

ENCONTRO

Diante deste cenário preocupante, Suéllen e os prefeitos de Lençóis Paulista (Anderson Prado), Botucatu (Mário Pardini), Jaú (Ivan Cassaro), São Manuel (Ricardo Salaro) e Lins (João Pandolfi) se reuniram ontem com Marco Vinholi. "A pauta principal foi mesmo a ampliação do atendimento no DRS-6. O Estado anunciou mais 10 UTIs no HC de Bauru. Pedi prioridade na abertura desses leitos. Eles falaram que deve sair na semana que vem", destaca a chefe do Executivo bauruense, complementando que o Hospital Estadual Botucatu, que está fechado atualmente, também esteve na pauta.

Apesar de o encontro, que também contou com o deputado federal Rodrigo Agostinho, ter sido exatamente na véspera da reclassificação do Plano São Paulo e da possibilidade real de a região regredir para a fase vermelha, a prefeita alega que este não foi o intuito principal. "Estamos pensando no problema mais adiante, em saná-lo de vez. Sabemos da chance de Bauru e região irem para fase vermelha, mas ainda não havia nada definido até a noite de hoje (ontem). Então, é melhor esperar".

VACINAÇÃO

Ainda durante o encontro, Suéllen debateu a questão das vacinas, uma vez que a primeira remessa a Bauru tinha 8,6 mil doses, muito abaixo dos 75 mil que devem ser imunizados na primeira fase da campanha na cidade. "Fomos informados que deve ser uma distribuição semanal de doses para os municípios", finaliza.

Ler matéria completa