Bauru e grande região

Geral

Praças são 'engolidas' por matagal

Espaços públicos estão longe do ideal por toda a cidade e moradores reclamam de lentidão para deixar locais aptos ao lazer

por Bruno Freitas

23/01/2021 - 05h00

Fotos: Malavolta Jr.

Marilene da Cunha Mendes observa os saguis se alimentando em praça no Jardim Redentor: "Olha que lindo esses animais. Era para tudo aqui ser mais conservado"

O verde domina as praças em Bauru. Contudo, não de um jeito positivo. Mato alto encobrindo bancos e passagens, restos de podas com galhos pontudos, sujeira e árvores caídas, além de calçadas desniveladas e quebradas. Este é o cenário de várias praças de Bauru e o JC tem recebido muitas reclamações diárias quanto à zeladoria delas. O A Cidade é Sua mostrou, na última quinta-feira (21), a falta de cuidados em duas da rua Bernardino de Campos, na Vila Souto. Após a repercussão, moradores reclamaram de diversas outras localidades.

São algumas delas: a Praça Brasil, no Jardim Brasil; duas praças do Jardim Bela Vista, uma ao lado da outra, na quadra 15 da rua Primeiro de Maio; a Praça do Jardim Silvestre 2, na avenida Francisco Silvestre; a Praça José dos Santos, no cruzamento da quadra 27 da rua Antônio Alves com a rua Vivaldo Guimarães, no Jardim Nasralla; a praça da rotatória do Jardim Marambá, no final da Duque de Caxias; e a praça do Jardim Redentor, na quadra 30 da avenida Cruzeiro do Sul. Esta última, inclusive, é moradia de famílias de saguis que se alimentam de frutas e escalam livremente entre as árvores.

"Olha que lindo esses animais. Era para tudo aqui ser mais conservado", conta a aposentada Marilene da Cunha Mendes, 70 anos, que passeia diariamente no local e observa os saguis. Segundo ela e a amiga Neusa Ceregatto, a última vez que houve capinação ali foi no feriado de Finados, em novembro. "Moro aqui do lado. Gosto de vir pra cá. Mas está difícil, viu! Porque a limpeza tem que ser algo mais frequente. Está muito sujo, com mato e podas que atrapalham a gente de caminhar. E aqui é muito movimentado, tem até trailer de lanches que reúne os jovens. Mas, ainda falta iluminação", comenta Marilene.

Na Praça do Jardim Brasil, além do mato alto, há uma árvore tombada há um bom tempo. A queda só é evitada por ela estar 'escorada' em outra árvore. No Jardim Silvestre 2, os pais precisam atravessar um intenso matagal para chegar com os filhos até o parquinho, que fica no centro do local.

Na praça da quadra 27 da rua Antônio Alves, tem um "mar" de verde, que bate quase na altura da cintura e uma árvore seca está há semanas partida ao meio. Apesar de o município realizar capinação na região central, o mato vem crescendo muito rápido e encobrindo canteiros nos bairros. Outra reclamação de munícipes é a vegetação muito alta em ruas e avenidas do Mary Dota.

RESPOSTA

A Prefeitura de Bauru comunicou que estas praças citadas pela reportagem estão no cronograma da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) e que a pasta irá providenciar a limpeza assim que concluir a capinação nos canteiros centrais das principais avenidas da cidade. 

Para adotar

A prefeitura, por meio da Semma, tem, desde 2006, o projeto "Empresa Boa Praça", um estímulo para a iniciativa privada para adotar e exercer zeladoria destes espaços. Há uma troca, com placa de publicidade do estabelecimento. No ato da adoção, a Semma oferece consultoria técnica ambiental para adequação dos plantios e a consultoria arquitetônica para a viabilização de rampas de acessibilidade, bancos e demais equipamentos das praças. Hoje, o secretário titular da pasta é Dorival José Coral. Empresários interessados nestas adoções devem contatar a Semma, pelo telefone 3239-2766 ou pelo e-mail [email protected]

Ler matéria completa