Bauru e grande região

Geral

Prefeitura entrega 10 ventiladores no HC e informa que bancará UTIs

A ordem judicial ao município, Estado e Famesp é para que tudo comece a funcionar até a próxima quinta-feira, dia 15

por Cinthia Milanez

10/04/2021 - 05h00

Malavolta Jr.

Antonio Rugolo Júnior, Orlando Costa Dias, Deborah Maciel Cavalcanti Rosa e Suéllen Rosim participaram da entrega dos equipamentos, ontem, ao Hospital das Clínicas, no câmpus USP

Os 10 ventiladores mecânicos entregues pela Prefeitura de Bauru ao Hospital das Clínicas (HC), na manhã desta sexta-feira (9), prometem ampliar a retaguarda de internações em meio a um cenário de elevada demanda de pacientes graves de Covid-19. Além da concessão dos equipamentos, o município também confirmou que bancará as UTIs que deverão recebê-los. A ordem do Poder Judiciário é para que tudo comece a funcionar até o próximo dia 15, quando terminará o prazo concedido à prefeitura, Estado e Famesp para que instalem os leitos naquela unidade. A medida visa dar cumprimento a uma sentença resultante de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público (MP) em 2013.

Conforme o JC noticiou na edição de ontem, a prefeitura estimava a abertura das vagas para depois do prazo estabelecido pela Justiça, mas, agora, espera cumpri-lo. De acordo com a prefeita Suéllen Rosim, o município bancará a manutenção das 10 UTIs integralmente. A diária de cada uma delas gira em torno de R$ 2,4 mil. Até então, a prefeitura custearia R$ 1,6 mil e o restante ficaria a cargo do governo estadual. "O Estado alegou que o financiamento dos leitos era de responsabilidade da prefeitura, momento em que nós decidimos assumi-lo em sua totalidade", complementa.

Questionada sobre a origem do montante para bancar as UTIs, a chefe do Executivo municipal se limitou a dizer que, por hora, utilizará recursos próprios e, conforme a necessidade, mexerá no orçamento de alguns departamentos. "Nós temos valores em secretarias e fundos que podemos remanejar, mas pensaremos nisso com calma", acrescenta.

Ainda segundo a prefeita, o município tentará o custeio por parte do Ministério da Saúde. "Paralelamente, nós sugerimos para o MP solicitar que usemos os R$ 17 milhões bloqueados pela Justiça para adquirir mais equipamentos e bancar outras 10 UTIs no HC", antecipa. Os respiradores entregues nesta sexta-feira (9) vieram na remessa enviada pelo Ministério da Saúde há cerca de um mês. Dos 30 ventiladores mecânicos recebidos pela prefeitura, alguns ficaram no PAC e os demais aguardavam a abertura de outros leitos.

O município entregou, ainda, oito monitores de frequência cardíaca. Eles estavam quebrados, mas a Famesp conseguiu consertá-los. Os outros dois estão em processo de aquisição pela instituição, que deverá emprestar os reservas de unidades como os hospitais de Base e Estadual, além da Maternidade Santa Isabel, enquanto os novos não chegam.

Também participaram da entrega o secretário da Saúde e vice-prefeito, Orlando Costa Dias; a diretora do Departamento de Urgência e Unidades de Pronto Atendimento (Duupa), Alana Trabulsi Burgo; além da diretora executiva do hospital de campanha, Deborah Maciel Cavalcanti Rosa.

QUASE PRONTAS

Presidente da Famesp, Antonio Rugolo Júnior observa que as 10 UTIs, situadas no 8.º andar do HC, acabaram de receber os equipamentos mais importantes. "Agora, nós decidimos comprar a parte instrumental, como laringoscópio, pinça e cuba, porque também precisamos cumprir a nossa parte da ação judicial", pontua.

Os aparelhos, talvez, não cheguem até o prazo dado pela Justiça para a abertura dos leitos. Por isso, a Famesp emprestará os reservas do Base, do Estadual e da Maternidade, que serão devolvidos tão logo a entidade receber os novos.

Além disso, a instituição teve de readequar todo o espaço, que precisou passar por alterações para abrigar, por exemplo, os aparelhos de hemodiálise. A mão de obra ficou por conta dos funcionários próprios da Famesp.

Na última quinta-feira (8), a instituição também deu início às contratações dos profissionais para atuar neste novo setor.

Segundo Rugolo, o efetivo deverá girar em torno de 100 pessoas, sendo 25 técnicos de enfermagem, 12 enfermeiros, seis fisioterapeutas, um oficial administrativo, um técnico de radiologia e um gerente de enfermagem, fora os médicos e terceirizados, como o pessoal da limpeza, lavanderia, segurança etc.

O presidente da Famesp acredita que, pelo fato de o processo seletivo ser emergencial, tudo estará acertado até o próximo dia 15.

Atualmente, o hospital de campanha opera com 40 leitos de enfermaria, mas é evidente a urgência para a implantação de novas vagas públicas de terapia intensiva, porque a UTI Covid do Hospital Estadual de Bauru (HEB) está, há mais de 40 dias, com 100% da capacidade ou até acima deste limite.

Ler matéria completa