Bauru

Polícia

Presos são flagrados com 26 minicelulares no interior do corpo

Reeducandos voltavam da saída temporária ao CPP-2 quando os itens foram detectados

01/06/2021 - 05h00

SAP/Divulgação

Por meio de cirurgia, 18 celulares e quatro invólucros de drogas foram retirados de um dos detentos

Dois reeducandos do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) 2 de Bauru "Dr. Eduardo de Oliveira Vianna" foram flagrados, após o retorno da saída temporária, com 26 minicelulares e entorpecentes dentro do próprio corpo. Ambos precisaram passar por cirurgia para retirada dos aparelhos e das drogas.

Os presos foram barrados após o escâner corporal detectar imagens suspeitas. A dupla admitiu ter engolido/inserido os objetos e, por isso, foi isolada na enfermaria da unidade para, espontaneamente, tentar expelir os itens. O fato ocorreu no último dia 24, mas somente foi divulgado nesta segunda-feira (31) pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

CIRURGIA PARA RETIRADA

Na enfermaria do CPP-2, um dos reeducandos expeliu quatro minicelulares e quatro invólucros de maconha, mas afirmou ainda ter objetos dentro de corpo. Já o segundo não conseguiu expelir nada.

Diante da situação, a direção da unidade os encaminhou para atendimento hospitalar, onde foi identificada a necessidade de intervenção cirúrgica para retirada dos celulares e das drogas.

O preso que havia expelido parte dos ilícitos teve retirado mais quatro mini celulares de seu corpo. O outro detento teve extraído, com a cirurgia, 18 minicelulares e quatro invólucros de entorpecentes - três deles contendo maconha e o último com 50 micropontos de K4, droga popularmente conhecida como maconha sintética.

As substâncias e os telefones apreendidos foram encaminhados à Polícia Civil para a lavratura do BO. A unidade prisional instaurou procedimento interno disciplinar, que deverá culminar com a regressão dos dois presos para o regime fechado.

Um dos reeducandos permanece internado e o outro teve alta no último domingo (30), sendo levado para o pavilhão disciplinar do CPP-2 de Bauru.

Ler matéria completa