Bauru

Geral

Mutirão coletará DNA de parentes de desaparecidos

Polícia Científica realizará força-tarefa em diversas cidades, inclusive em Bauru

11/06/2021 - 05h00

A Polícia Científica do Estado de São Paulo iniciou, nesta semana, o agendamento para cadastro de perfis genéticos de parentes de pessoas desaparecidas. Um mutirão para coleta de DNA será realizado ao longo da próxima semana em todo território paulista, inclusive no IML de Bauru. Antes, contudo, é preciso agendar no site www.policiacientifica.sp.gov.br.

A medida faz parte de uma campanha nacional, lançada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) no último dia 25 de maio, para estimular familiares de pessoas desaparecidas a doarem DNA a compor o Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG).

Somente em território paulista, no ano passado, foram registrados 18.909 desaparecimentos e 16.317 encontros de pessoas. Em 2019, foram 18.913 e 15.069, respectivamente. Neste ano, até o momento, foram mais de 6,4 mil desaparecimentos e 5,5 mil encontros.

O empenho e a integração entre os órgãos que atuam nessa área, aliado às novas tecnologias, tem ajudado a reduzir a espera e acabar com a angústia das famílias.

COLETA

A coleta do material será realizada entre os dias 14 e 18 de junho. Parentes de pessoas desaparecidas deverão agendar o atendimento antes de comparecer ao local indicado por cada uma das Secretarias de Segurança Pública Estaduais, nas 27 Unidades da Federação, onde fornecerão dados pessoais e DNA.

O procedimento, que é voluntário, indolor e precedido da assinatura de um termo de consentimento, deve ser feito preferencialmente de familiares em primeiro grau da pessoa desaparecida. O material não será usado para nenhum outro fim, além da identificação do parente desaparecido.

"Esse material será encaminhado ao laboratório do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Científica, onde será obtido um perfil genético desse familiar, sendo inserido no sistema que faz a busca para verificar se existem familiares do indivíduo cadastrados nesse banco", explica a diretora do Núcleo de Biologia e Bioquímica do IC de São Paulo, Ana Claudia Pacheco.

A busca é nacional, então, a pessoa que faz a coleta terá seu DNA comparado nos demais Estados do Brasil. Inclusive, pode ser informado ao familiar se o seu DNA é compatível com o de alguma pessoa que já tenha falecido sem ser identificada.

SERVIÇO

A coleta será feita em diversas cidades, incluindo no IML de Bauru (rua Pascoal Luciano, 374) na próxima semana. Em razão da pandemia, é preciso agendar o atendimento antes de realizar o procedimento. O agendamento deve ser feito no site www.policiacientifica.sp.gov.br.

Ler matéria completa