Bauru

Geral

Saguis morrem em Bauru após contraírem herpes humano de alimento contaminado

Doença é letal para a espécie e biólogo alerta que estes animais estão contraindo o vírus ao receber frutas

por Bruno Freitas

13/10/2021 - 05h00

Malavolta Jr.

Vinícius Sementili Cardoso, biólogo do Jardim Botânico

O aparecimento de saguis mortos, em bairros rurais e no próprio Jardim Botânico, vem preocupando biólogos de Bauru. De acordo com eles, a principal causa da morte é a transmissão do herpesvírus humano, que acomete 9 entre 10 pessoas, mas é fatal para esta espécie. Vários destes animais morrem poucos dias após consumir alimentos contaminados oferecidos por pessoas que mordem as frutas, retiram pedaços do alimento e os entregam aos saguis.

Segundo o biólogo Vinícius Sementili Cardoso, do setor de Educação do Jardim Botânico Municipal de Bauru, existe um grande mito de que os macacos têm dieta à base de frutas, sobretudo bananas, o que contribuiu para que as pessoas continuem ofertando estes alimentos. Ele destaca que os saguis estão se aproximando cada vez mais das pessoas e recebendo comida por parte de por curiosos interessados em agradá-los para que se aproximem e façam fotos.

"A herpes humana é muito comum e provoca, normalmente, sintomas leves nas pessoas, com manifestações esporádicas. Os saguis também têm contato com o vírus ao mexerem no lixo. Então, é importante que, além de não oferecer comida, as pessoas também lacrem bem o descarte de seus resíduos. Temos relatos destes animais morrendo de herpes em bairros rurais, entre eles o Vale do Igapó, e ao longo dos últimos meses, encontramos no Jardim Botânico também", relata Vinícius Sementili Cardoso.

Ainda de acordo com Cardoso, a morte dos saguis pelo herpesvírus humano ocorre de forma muito rápida. Surgem primeiro as feridas nas mucosas do rosto, o animal fica muito debilitado e morre. E ainda há a contaminação entre os saguis. Em nenhum caso, segundo o biólogo, a espécie sobrevive.

Vinícius Sementili Cardoso acrescenta que além da herpes os saguis ainda podem contrair, devido a alimentação recebida dos humanos, a diabetes, a cárie, que os fazem perder os dentes e morrerem de fome, além de problemas renais e hepáticos.

Alimentação e o mito da banana

Vinícius Sementili Cardoso destaca ainda que os saguis têm comida em abundância na natureza. "Eles comem insetos, lagartixas e têm como preferência a resina encontrada nas árvores. Eles perfuram as cascas com os dentes. É importante que a população não tenha dó deles, achando que estão com fome, porque não estão. Essa ideia é falsa. As frutas que são ofertadas para eles têm teor calórico muito alto", comenta.

O biólogo enxerga os filmes e desenhos animados como responsáveis por disseminar, ao longo de anos, o mito de que macaco come banana. "Essa ideia foi muito difundida na televisão e nos circos, por muitos anos. Não há relatos científicos de que os primatas busquem a banana como alimento. Todos os frutos consumidos por humanos são inadequados para eles. A orientação é manter distância dos saguis: eles lá, eu aqui", detalha. O Jardim Botânico realiza campanha de orientação para que os visitantes não se aproximem e não alimentem os saguis desde 2018.

Tipos mais comuns

O herpes-vírus, em geral, se caracteriza por uma infecção latente nas células nervosas. Eles são vários e os mais comuns em humanos são os do tipo 1, que ataca as mucosas do rosto (estima-se que abarque 90% da população mundial), e do tipo 2, que afeta as genitálias. Esses vírus provocam reação imunológica de pequena intensidade, incapaz de eliminá-los completamente, o que preserva o genoma viral em células. De acordo com Paulo Sérgio Santos, professor de estomatologia da FOB/USP, em entrevista recente à TV USP Bauru, as pessoas se contaminam geralmente na infância. O vírus é transmitido pela pessoa que está com o herpes manifestado por meio do toque, beijo, compartilhamento de objetos e em uma conversa próxima, via saliva.

Ler matéria completa

×