Bauru

Geral

Com fila e médico parado, UPA Bela Vista é alvo de críticas de vereador

Júnior Rodrigues (PSD) fez intervenção no local após pacientes reclamarem de espera por atendimento de mais de 4 horas

por Tânia mORBI

17/10/2021 - 05h00

Divulgação

Júnior Rodrigues foi até a UPA e conversou com os pacientes: "Falta alguém que resolva os problemas cotidianos e simples"

Mais uma vez, as UPAs de Bauru repercutem pela longa espera de pacientes por consulta médica. Agora, o problema foi apontado pelo vereador Júnior Rodrigues (PSD) na UPA Bela Vista, que critica a falta de gestão. Ele foi até o local e ouviu relatos de pessoas que aguardavam mais de quatro horas por atendimento, nesta última sexta-feira (15). O mais absurdo é que os três médicos plantonistas não atendiam o público de forma simultânea, porque, segundo eles, só havia duas salas disponíveis, já que a unidade está em reforma. O parlamentar conta que precisou ele ir até lá e pedir para arrumarem um espaço improvisado para o atendimento. 

Júnior descreve a situação encontrada na UPA como um "caos". "Quando cheguei, tinha pessoas deitadas no chão; paciente que, de acordo com o prontuário, esperou duas horas para a triagem e mais de duas horas sem passar pelo médico; e grande número de pessoas com exames extraviados, que tinham feito o procedimento, mas não se sabia onde estava".

Nesta sexta-feira, uma situação ainda mais peculiar chamou a atenção. A demora não era pela falta médicos, como foi visto com frequência em plantões, especialmente aos finais de semana, nos momentos mais críticos da pandemia. O problema, segundo os profissionais, era a falta de espaço para trabalhar, de acordo com o vereador.

Júnior diz que os três plantonistas escalados para o atendimento clínico estavam presentes, mas, quando procurou saber o motivo da demora para a realização das consultas, foi avisado de que havia um revezamento entre eles. Dois estavam atendendo em dois consultórios disponíveis, enquanto o terceiro descansava, porque a sala que ele usaria estava interditada para reforma. "Eu vi só dois consultórios atendendo. Era 16h e o terceiro médico estava descansando. Segundo apurei, cada um trabalhava duas ou três horas e trocava com outro, que ia descansar. Pedi para a enfermeira abrir a sala que é do ortopedista para o terceiro médico trabalhar", conta o vereador, em tom de indignação.

Júnior informa ainda que, de acordo com a escala de serviço, os três médicos estavam destacados para consultas clínicas e um quarto profissional ficava disponível para casos de urgência e emergência.

FALTA GERÊNCIA

Segundo o parlamentar, após o terceiro médico começar a atender, ele retornou à UPA, cerca de duas horas depois, e já não havia mais pacientes à espera de consulta. Para o parlamentar, o funcionamento das unidades precisa de alguém que faça o gerenciamento, certificando-se de que tudo funciona da forma adequada. "Isso que está acontecendo na Bela Vista pode acontecer em mais lugares. Agora, vereador não tem que ir nas UPAs arrumar sala para médico trabalhar. Se o médico está lá para trabalhar e fazer 12 horas de plantão, tem que fazer 12 horas. Tinha pessoas esperando por exames extraviados. Foi só fazer outro exame e pronto. Falta alguém que resolva os problemas cotidianos e simples", ressalta.

Júnior também lamenta o desabastecimento da despensa de mantimentos da unidade, já que funcionários têm levado café e açúcar de casa, por exemplo. Inclusive, um cartaz colado na cozinha informava sobre o problema da falta de produtos.

OUTRO LADO

Em nota, a Secretaria de Saúde confirmou que a UPA Bela Vista está passando por reforma e melhorias. "Com isso, em alguns momentos, alguns espaços podem ficar indisponíveis para uso de médicos, servidores e pacientes, o que altera momentaneamente a rotina da unidade".

Contudo, a pasta diz que "os atendimentos seguem normalmente, 24 horas em todos os dias. Também deve ser considerado que os casos mais urgentes são atendidos com prioridade, assim que chegam na UPA, e os demais são atendidos na sequência, conforme a gravidade do paciente, padrão que é adotado em todas as unidades de urgência e emergência".

Ler matéria completa

×