Bauru

Geral

Morre o bauruense Luis Elias Tambara, ex-presidente do TJ

O desembargador, que estava aposentado, comandou o órgão no início dos anos 2000

por Tisa Moraes

25/11/2021 - 05h00

Assembleia Legislativa de São Paulo

Luis Elias Tambara estava com 81 anos e morava na Capital

Morreu, na tarde desta quarta-feira (24), aos 81 anos, o bauruense Luis Elias Tambara, que foi presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) no início dos anos 2000. Ele morava na Capital e estava acamado há algum tempo, devido a complicações decorrentes de um câncer de próstata. Na manhã de ontem, depois de apresentar piora do quadro de saúde, foi levado à UTI do Hospital Samaritano, onde faleceu horas depois.

Formado pela Faculdade de Direito de Bauru, Tambara teve uma rápida ascensão na carreira, atribuída por familiares à sua inteligência e dedicação aos estudos. Em 1966, foi nomeado juiz e, ao longo dos anos, atuou em cidades do Interior do Estado, como Ribeirão Preto, Nhandeara, Guaíra e Presidente Prudente.

Depois de várias promoções, chegou ao cargo de desembargador do TJ-SP pelo critério de merecimento. Já residindo em São Paulo, foi eleito 4.º vice-presidente do TJ-SP em 2001 e, em 2002, tomou posse como corregedor-geral da Justiça. Um ano depois, foi eleito presidente do TJ-SP, cargo que exerceu no biênio 2004/2005.

Em julho de 2010, prestes a completar 70 anos, encerrou sua carreira no Poder Judiciário. Antes da aposentadoria, contudo, também foi professor na Faculdade de Direito de Presidente Prudente e nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), em São Paulo.

Filho de Renato Tambara, que foi maestro e proprietário da Óptica Tambara, em Bauru, e da dona de casa Maria Pacífico, o desembargador teve três irmãos e sempre valorizou a família, conforme descreve o sobrinho-neto Bruno Tambara Marques. "Ele era muito querido. Mesmo distante geograficamente, sempre foi muito presente. Tinha um caderninho em que anotava o dia de aniversário de cada um de toda a família e se fazia presente com uma ligação ou uma mensagem. Era sensacional", relembra.

Tambara deixa a esposa Cleusa Maria, a filha única Sheila Cristina e os netos Fábio e Heloísa. O sepultamento será no cemitério Gethsêmani, em São Paulo, às 16h desta quinta-feira (25). Em virtude da pandemia, não será realizado velório.

Ler matéria completa

×