Bauru

Geral

Com 2,3 mil buracos, DAE contratará empresa para mutirão fora de época

Autarquia abrirá licitação para terceirizar tapa-buracos e reduzir demanda represada; serviço deve começar em fevereiro

por Marcele Tonelli

14/01/2022 - 05h00

Divulgação

Recorte do DAE na quadra 1 da rua Theodoro Gavaldão, no Mary Dota, estava na lista dos 2,3 mil buracos em aberto, mas aumentou de tamanho com as chuvas e entrou para a relação dos reparos emergenciais

Com foco em diminuir a demanda represada desde 2021, que soma quase 2,3 mil buracos, o DAE promete uma operação tapa-buracos fora de época em Bauru. O serviço, que é feito geralmente durante a estiagem, deve começar, agora, em fevereiro. A operação, contudo, não será feita por servidores da autarquia como de costume, mas por empresa terceirizada. Para isso, o DAE informa que deve abrir, na próxima semana, uma licitação prevendo a contratação tanto do fornecimento de asfalto quanto do reparo dos mais de 2 mil buracos. O investimento aproximado será de R$ 4 milhões.

A informação é do presidente da autarquia, Marcos Saraiva, que projeta o início do serviço para a primeira quinzena de fevereiro e a finalização em, no máximo, 90 dias. "A licitação está pronta. Falta apenas a dotação orçamentária de 2022, que deve sair nesta sexta-feira (14), para que a gente possa fazer o empenho e abrir a licitação ao mercado. Esperamos acabar com a buraqueira de Bauru e ter um cenário melhor, que já deve ser percebido pela população entre março e abril deste ano", vislumbra.

DESFALQUE

Saraiva explica que o serviço de tapa-buracos do DAE tem sofrido descompasso desde o ano passado e os recortes abertos nas ruas pela autarquia acabaram se acumulando. Uma das principais explicações para isso foi a redução na mão de obra da autarquia. "A operação dependia muito do trabalho de reeducandos, que foi suspenso em razão da Covid-19", comenta o presidente do DAE.

Além disso, o órgão sofreu com afastamentos, aposentadorias e até mortes de profissionais durante a pandemia. Desse modo, o número de equipes para tapa-buracos reduziu de seis para três em dois anos.

Hoje, o DAE conta com cerca de dez funcionários para asfaltar os trechos de ruas que sofreram reparos, oriundos de vazamentos de água e esgoto, ou resultantes de outros serviços da autarquia.

EQUIPES DIRECIONADAS

Com atuação restrita, duas frentes de trabalho são direcionadas para atender vias de grande fluxo e para buracos considerados perigosos, que, com as chuvas, tiveram sua extensão ampliada. E um terceiro grupo roda os bairros, praticamente sozinho, para efetivamente atender chamados de toda a cidade.

"Como as equipes reduziram muito, o DAE abriu mais buraco do que conseguiu fechar. A partir desse mutirão, conseguiremos trazer mais normalidade aos números. E, assim, daremos sequência ao serviço com as nossas equipes, que também devem ser fortalecidas pelos reeducandos, que tem a volta prevista para 22 de janeiro", completa Marcos Saraiva.

Com a força dos 20 detentos, que já conhecem o serviço, o DAE espera montar de cinco a sete equipes só para tapa-buracos em 2022.

FROTA

A autarquia pretende também alugar mais dois caminhões e outros oito veículos para ampliar os trabalhos, especialmente os de fiscalização, que, hoje, sofrem com desfalques de condução.

"Nem todo buraco da cidade é do DAE. Tem os que são causados pelas chuvas, comuns nessa época, e que são de responsabilidade da Obras. Os do DAE são, geralmente, os com asfalto recortado", diferencia. "Têm também os afundamentos de solo causados por rede de esgoto, mas, quando eles ocorrem por causa das galerias pluviais, é a Obras que deve ser acionada", finaliza Saraiva.

Serviço

Reclamações sobre buracos oriundos de serviços feitos pelo DAE devem ser comunicadas à autarquia por meio dos telefones 0800-7710195 (ligações de telefone fixo), (14) 3235-6140 (celular) e (14) 3235-6179 (celular).

Asfalto frio

Em razão do período chuvoso, o DAE também abriu uma licitação, no último dia 8, prevendo a aquisição de asfalto frio, um material que pode ser usado para tapar buracos em dias de precipitação. O produto, explica Marcos Saraiva, será utilizado pelas equipes da autarquia para situações em que a operação terceirizada não der conta e para emergências. "Nosso planejamento era de começar janeiro com esse material em estoque, mas deu problema e abrimos a licitação só agora. A previsão de chegada do asfalto frio é 25 de janeiro", detalha.

Ler matéria completa

×