Bauru

Geral

Diante do avanço da Covid-19, bares já pedem comprovante de vacinação

Estabelecimentos decidiram pedir aos usuários o comprovante de duas doses ou teste negativo feito até 24h antes

por Larissa Bastos

14/01/2022 - 05h00

Reprodução

Sampa Bauru publicou comunicado de exigência de comprovante de vacinação nas redes sociais do estabelecimento

Bares e restaurantes de Bauru anunciaram que, a partir desta quinta-feira (13), passaram a exigir que os clientes apresentem, para entrar no estabelecimento, comprovante de vacinação contra a Covid-19 de duas doses ou dose única. Segundo os proprietários, a medida visa proteger funcionários e clientes e ainda ajudar a brecar o avanço do coronavírus no município, que registrou mais de mil casos positivos da doença neste mês (leia mais abaixo).

Até 19h desta quinta-feira (13), o JC apurou que anunciaram tais exigências nas redes sociais o Buteco do Rastro, C'Lavie Bar, Jack Music Pub, Oficina Bar e Sampa Bauru.

Em alguns estabelecimentos, os frequentadores que ainda não tiverem completado o esquema vacinal poderão entrar desde que apresentem teste negativo contra a Covid-19.

Serão aceitos somente exames RT-PCR realizados nas 48 horas anteriores ou o teste de antígeno (teste rápido) feito nas 24 horas anteriores.

"Nós temos cerca de 40 colaboradores, que têm familiares e amigos, que perderam entes queridos. Adotamos essa medida para proteger eles e a população, que deve se conscientizar e se proteger. Não queremos que tudo seja fechado novamente. Não queremos passar por tudo aquilo de novo. Queremos que as pessoas possam continuar trabalhando e também podendo sair para se divertir", explica Willian Mortally, um dos sócios-proprietários do Oficina Bar.

Para evitar a disseminação da doença, o setor dos bares e restaurantes sofreu diversas restrições durante 17 meses, passando até por alguns períodos sem autorização para funcionar. Somente em agosto de 2021 o Governo do Estado deixou de exigir limite de ocupação e distanciamento mínimo dentro dos estabelecimentos. Atualmente ainda é obrigatório o uso de máscaras.

O proprietário do Sampa Bauru, João Cabreira, sofreu ainda mais este impacto, já que o local ficou fechado durante 20 meses. "Essa nova onda piorou bastante a situação. Então essa medida ajuda a prevenir o aumento de casos e a proteger os clientes e funcionários. A vacina é para o bem", declara.

PREOCUPAÇÃO

Para André Brumatti, proprietário do Buteco do Rastro, há ainda o receio de que muitos funcionários se contaminem e, por isso, não tenham equipe suficiente para o estabelecimento operar.

"Estamos preocupados porque muita gente se contaminou. Temos 33 colaboradores e, se todos se contaminarem, terei que fechar o bar porque não teremos gente para trabalhar. Com essa medida, também protegemos nossos clientes. Não queremos passar novamente pelo aperto que passamos quando tudo estava fechado", afirma Brumatti.

DIGITAL

Os clientes que frequentarem esses locais terão a opção de apresentar a carteirinha de vacinação contra a Covid-19 física, ou a versão digital, disponível pelo aplicativo ConecteSUS e pelo site conectesus-paciente.saude.gov.br.

Números da pandemia

A preocupação dos empresários é motivada pela explosão de casos de coronavírus na cidade neste início de ano. O boletim epidemiológico divulgado ontem (13) pela Prefeitura de Bauru indicou que, entre 30 de dezembro e 13 de janeiro, foram registradas 1.371 confirmações da doença, sendo que 803 deles são considerados ativos. Esse número representa um aumento de 341% em comparação ao último balanço de 2021, quando eram apenas 182 casos ativos. Ao todo, são 61.427 casos confirmados.

Este ano, foram registrados quatro óbitos, totalizando 1.244 óbitos pelo coronavírus em Bauru desde o início da pandemia.

Ler matéria completa

×