Bauru

Geral

Vacinação contra Covid em crianças começará nesta terça-feira em Bauru

Inicialmente, imunização será para indivíduos de 5 a 11 anos com comorbidades ou deficiências, quilombolas e indígenas

por Marcele Tonelli

15/01/2022 - 05h00

Fotos Públicas

Região receberá lote com 8,7 mil doses do imunizante pediátrico

Começará, nesta terça-feira (18), em Bauru, a campanha de vacinação contra a Covid-19 voltada a crianças de 5 a 11 anos. Nesta primeira etapa, a ação contemplará os pequenos que possuem comorbidades ou deficiências, os indígenas e os quilombolas. O agendamento voltado para esse público será aberto de forma online no site da Prefeitura de Bauru (www2.bauru.sp.gov.br) neste domingo (16). O horário ainda não foi definido pelo município.

Conforme o JC noticiou, a cidade possui um total de 30.050 indivíduos entre 5 e 11 anos aptos a receber a vacina pediátrica contra a Covid-19. Após a fase da imunização do primeiro grupo citado, a campanha se estenderá aos demais, seguindo a regra de abertura por idade de forma sequencial, sempre das crianças mais velhas para as mais novas. No cronograma apresentado pelo Estado, consta que a previsão da vacinação por idade do público infantil em geral ocorrerá na segunda semana de fevereiro.

O start da imunização infantil no País foi dado pelo Estado de São Paulo nesta sexta (14), após um menino indígena de 8 anos receber o imunizante (leia mais na página 15). Também ontem, houve a saída dos primeiros caminhões da Capital para a distribuição das doses às diversas regiões do Estado.

PARA A REGIÃO

A previsão era de que as doses chegassem ao município entre ontem (14) e hoje (15). Segundo o Estado, 8,7 mil imunizantes foram enviados para a região de Bauru.

Este primeiro carregamento, que será dividido entre as cidades, chega à sede do Grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo (GVE), que fica no prédio do Departamento Regional de Saúde de Bauru (DRS-6). A retirada das doses pediátricas é feita pelos respectivos municípios.

A rede de saúde de Bauru levará as vacinas para sua rede de frio na segunda-feira (17). "Iremos conferir a estabilidade das vacinas na temperatura, acondicionaremos e separaremos as grades por unidade de saúde. Na sequência, é feita a distribuição para os postos e isso leva um dia, porque a vacina chega entre 9h e 10h. Por isso, começará na terça-feira (18)", explica Ezequiel Santos, diretor do Departamento de Saúde Coletiva.

LOCAIS

Um esquema prévio da campanha infantil planejada pela Saúde municipal indica que os locais que farão a vacinação das crianças em Bauru serão as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Tibiriçá, Jardim Europa, Vista Alegre, Mary Dota, Beija Flor, Jardim Jussara, Octávio Rasi, Vila Cardia e Jardim Redentor.

Também devem receber e aplicar o imunizante pediátrico as Unidades de Saúde da Família (USFs) Pousada 2, Vila São Paulo, Vila Dutra, Santa Edwirges, Nova Bauru e Nove de julho.

RECOMENDAÇÕES

A Saúde recomenda que as crianças com síndrome gripal sejam submetidas aos exames de detecção da Covid-19 antes de serem levadas para vacinação.

Os pequenos que apresentarem resultado positivo para o novo coronavírus devem aguardar 30 dias para a imunização. "Se for apenas síndrome gripal, com exame negativo para Covid-19, ela (criança) deverá esperar completar até 72 horas sem febre para poder vacinar", orienta Ezequiel Santos.

Para o público com comorbidades, é obrigatório apresentar, no ato da vacinação, documento, CPF (na ausência do Cartão Nacional do SUS), comprovante de endereço, carta médica ou prontuário (se é acompanhada no posto de saúde), laudos anteriores da comorbidade crônica e receita do medicamento que está em uso, conforme prevê o Ministério da Saúde.

Em boa hora

A vacina pediátrica chega em boa hora, tendo em vista que muitas cidades têm apresentado aumento de casos de Covid-19 em crianças. Em Bauru, a prefeitura diz que não houve crescimento significativo de confirmações da doença no público infantil, mas a Unimed, por exemplo, notou aumento sensível nas últimas semanas de atendimentos feitos aos pequenos com suspeita de Covid-19 e Influenza.

Pediatra e infectologista faz alerta: 'É muito pior deixar a infecção vir'

Pediatra e infectologista, Silvia Nunes Szent Fonseca alerta que os anticorpos gerados pela infecção da Covid-19 são cinco vezes menores, em quantidade, do que os originados pela vacina. "É muito pior deixar a infecção vir", compara a médica.

"Tudo o que é novo assusta, dá para entender. Mas, de maneira geral, não temos nenhuma outra ação na ciência que tenha tanto impacto positivo na saúde quanto as vacinas. E, em particular, as vacinas da Pfizer possuem a tecnologia do RNA mensageiro, que vem sendo estudada há muitos anos. A doença é nova, mas a tecnologia é muito segura, porque não causa a infecção, não há risco de a criança tomar e ter a Covid-19", esclarece a médica, que também é diretora regional de Infectologia do Sistema Hapvida.

Segundo ela, esse tipo de imunizante que chegará a Bauru foi aplicado em milhares de crianças, apresentando eficácia de mais de 90%, e ele tem um terço da dose que é direcionada aos adultos. "A agulha é diferente, a dose é diferente, o frasco é diferente, mas o princípio é o mesmo. E não houve nenhuma reação adversa grave que levou à morte. Pelo contrário, muitas crianças morreram ou precisaram ser hospitalizadas no País por terem contraído a Covid-19", alerta a médica. 

Ler matéria completa

×